Em contraponto com o recente fechamento da Bonasa – que acabou tirando o trabalho de cerca de 500 moradores de Nova Veneza, o Festival Italiano já está  aquecendo a economia da cidade e criando novas oportunidades para os moradores. O evento, que acontece de 7 a 10 de junho e vai gerar mais de 1200 oportunidades de trabalho temporário, já está contratando.

A Cantina da Nona – restaurante oficial do evento – já realizou a contratação de 50 pessoas para realizar a pré-produção dos mais de 20 mil pratos de comidas típicas da Itália que devem ser servidos durante o evento. Até a chegada do Festival Italiano mais de 200 pessoas devem estar contratadas para atuar nas áreas de organização, cozinha, balcão e na limpeza”, informa  Hermione Stival.

Integrando a programação gastronômica do evento, a Carnivoria Open Air  – que vem de São Paulo – também está montando equipe para atuar em Nova Veneza. Serão contratadas 25 pessoas da comunidade para atuar na finalização dos pratos e no atendimento.   Segundo Henrique Okuda – diretor administrativo do franquia – é muito importante valorizar a mão de obra local.

De acordo com Hermione Stival, presidente da Associação Veneziana Pro-Festival Italiano (Afesti), ano passado, a festa gerou uma movimentação financeira na cidade de R$2 milhões. Neste ano, a perspectiva é de crescimento, uma vez que o evento será 30% maior em número de estandes.

A manicure Laís Stival, 28,  é uma das moradoras que irá trabalhar no evento. Ela diz que a renda extra que consegue durante o festival representa um quase o dobro de sua renda mensal média. “Com esse dinheiro eu mantenho uma reserva financeira para alguma emergência que sempre surge”, conta a manicure que é divorciada e mãe de uma criança de 5 anos.

As contratações estão sendo feitas através da Afesti – Associação Pró Festival Italiano de Nova Veneza, que está sediada em frente à Praça Matriz da cidade.