Os solteiros são o principal grupo na sociedade. Durante a quarentena decretada pela pandemia do novo coronavírus, entre os meses de maio e junho deste ano, aumentou 18,7%, crescendo o número de pessoas que moram sozinhas no Brasil. Em dez anos, o número de pessoas que vivem solitárias cresceu de 10,4% para 14,6%. O dado é do IBGE.

E essa tendência é mundial. O número de pessoas que vives sozinhas – sejam divorciadas, viúvas com filhos adultos e solteiras – está cada vez maior no Brasil e no mundo. Segundo a pesquisa “10 Principais Tendências Globais de Consumo” realizada pela Euromonitor Internacional, o número de residências com um único morador deve crescer a uma taxa média anual (CAGR) de 1,9% na próxima década. O estudo ainda mostra que, até 2030, a estimativa é que haja um aumento de 120 milhões de residências de uma única pessoa, o que corresponde a um aumento de 30% em relação a 2018.

De acordo com o estudo Brasil Pack Trends 2020, desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), instituição de pesquisa ligada ao governo do Estado de São Paulo, o aumento da quantidade de residências com apenas uma pessoa e a vida urbana cada vez mais atribulada têm criado uma demanda por alimentos em porções menores ou individuais, o chamado ‘mercado single’. Geralmente são porções individuais de fácil preparo ou para consumo imediato.

Buscando atender a demanda destes consumidores em específico, redes varejistas têm investido em produtos com este tipo de embalagem, que permite também diferentes opções de consumo no caso de lares com mais de uma pessoa, ou seja, cada pessoa na residência pode escolher o que consumir.

 Para fomentar esse mercado em constante crescimento, o Bretas comercializa produtos direcionados a esse nicho.  Na mercearia, existem opções como o azeite de oliva – em frasco reduzido de 250 ml -, arroz e açúcar de um quilo e os produtos – como carne, frutas, verduras e frios – comercializados a granel.

O publicitário Guilherme Carvalho, 34, mora sozinho em Goiânia desde 2019 e é frequentador da loja Bretas Armazém. “Costumo ir semanalmente à loja, mas como eu moro sozinho, evito fazer compras mensais. A possibilidade de comprar frios fatiados na hora e na quantidade em que eu preciso é ótima. A mesma coisa para itens do açougue, em que eu compro as porções ideais para o meu consumo”, relata.

 Na área de perecíveis industrializados e congelados, o consumidor pode contar com embalagem individual de lasanha, macarrão pronto, sanduíches, frascos menores de iogurte e até sobremesas prontas. Essas opções facilitam a vida de quem não pode sair para comer na rua.