Não dá mais para fecharmos os olhos para tanta atrocidade que vem acontecendo no mundo da moda. Recentemente vimos à notícia de uma grife super famosa que queimou milhares de peças do seu estoque para que não houvesse uma “desvalorização da marca”. Onde fica o respeito pelo trabalho e pelos recursos naturais usados na produção dessas peças?

Vale lembrar que a moda é uma das indústrias que mais polui o meio ambiente e ainda mantém milhares de pessoas em condições sub-humanas de trabalho. Precisamos buscar formas de contribuir para melhorar essa situação.

Vou te contar agora como podemos ser mais sustentáveis com atitudes bem simples:

  1. Comprar menos e melhor

Um dos princípios básicos da sustentabilidade é comprar somente aquilo que realmente precisamos, que vamos usar. Não é fácil resistir às promoções. Poxa, uma blusinha linda por R$ 19,90? Mas será mesmo que vale a pena investir em um guarda-roupa abarrotado de peças sem qualidade ou seria melhor ter menos peças que realmente vamos conseguir usar? E ainda investindo nosso dinheiro em algo de qualidade e durável?

  1. Comprar de quem faz

Apoiar os produtores locais, comprar de quem faz e das pequenas empresas permite que a gente conheça melhor o processo de produção. Existem muitas marcas sustentáveis que prezam pela transparência e mostram como produzem suas peças. Além de contribuir para a economia local, podemos abrir nosso olhar para novas marcas, produtos e design diferenciados.

  1. Comprar de segunda mão

    Sem preconceito! O que está parado aí na sua casa pode ganhar vida no guarda roupa de outra pessoa. Têm crescido consideravelmente a quantidade de brechós e bazares, o consumo de artigos usados vem se popularizando e a tendência é que esse mercado cresça ainda mais. Vale vender o que você não usa e sair para garimpar peças com um preço camarada, e praticamente exclusivas, já que nos brechós encontramos peças diferentes das tendências que as lojas de novos vendem.

Viu só como é simples ter atitudes sustentáveis! E são inúmeros benefícios para nós e toda a sociedade. Vamos pesquisar os produtores locais e brechós, deixar um pouco as grandes marcas e as lojas de departamento de lado e passar a refletir antes da decisão final de compra.