Superação de limites, conquistas pessoais e busca por crescimento profissional fazem parte da história de diversas pessoas com deficiência (PcDs) que atuam no grupo Cencosud Brasil, 4ª maior supermercadista do país. Com uma Política de Inclusão e Diversidade registrada em documento oficial, a companhia comemora os cerca de 1.200 PcDs contratados, que esbanjam eficiência, disposição e histórias de sucesso.

Aline Santana, hoje com 41 anos, tem comprometimento motor do lado esquerdo do corpo e só havia cursado a alfabetização quando foi contratada, há 13 anos, pelo supermercado Prezunic, no Rio de Janeiro. A partir do Projeto Telecurso, sistema de supletivo oferecido aos colaboradores da Cencosud, a auxiliar de operações está no Ensino Médio e hoje sonha com uma vaga na faculdade de fisioterapia. “Trabalhar numa empresa acolhedora, que oferece chances de crescimento, faz toda a diferença para o desenvolvimento de qualquer pessoa, ainda mais para quem tem deficiência”, afirma Aline.

Exemplo de perseverança e conquista, é o caso da Fernanda Vitória, 31 anos, empacotadora na loja do GBarbosa Costa Azul, em Salvador/BA, desde 2014. Com deficiência auditiva identificada aos 5 anos, ela já trabalhou como autônoma em lojas de rua e teve na rede supermercadista o seu primeiro emprego com carteira assinada.

Outro exemplo é o da deficiente visual Jacilda Costa, 36 anos, que trabalha no Mercantil Rodrigues desde 2013. Aos 2 anos de idade ela sofreu um acidente e teve o olho esquerdo perfurado. “Enxergo de um olho só. Lido com a deficiência desde pequena, me acostumei e nunca foi um obstáculo”, conta. Ela diz que a lei de PCD foi muito importante para assegurar o ingresso no mercado de trabalho e revela que, mesmo com a deficiência, é possível aproveitar as oportunidades. “Participei de seleções internas, fui assistente de Recursos Humanos, hoje estou como analista de RH e pretendo continuar me aperfeiçoando”, afirma Jacilda.

Inclusão de surdos

Para tornar ainda mais equilibrado o processo seletivo, a Cencosud Brasil adotou um sistema de entrevistas de emprego na Língua Brasileira de Sinais (Libras), e conta com o apoio de instituições parceiras para realizar entrevistas, visando à melhor experiência dos candidatos durante os processos seletivos.  “É muito bom perceber que somos bem-vindos. Aqui, os outros colaboradores valorizam o nosso esforço e sempre nos ajudam. Isso é muito especial”, conta Márcia Moreira Mota Neri, de 50 anos, que tem dificuldade auditiva e há sete anos trabalha no Prezunic.

Por meio do Campus Cencosud, plataforma e-learning de capacitação da companhia, todos os colaboradores têm à disposição um curso de Libras, com o objetivo de facilitar o contato com pessoas com deficiência auditiva, tanto os que trabalham na empresa, quanto os clientes que frequentam as lojas.

O auxiliar de hortifrúti do Bretas, Marco Aurélio Carvalho da Silva, de 25 anos, trabalha diretamente com o deficiente auditivo Josué Carlos Ribeiro Abadia, 38, e percebeu que precisava se comunicar melhor com o colega para facilitar a rotina de ambos. “Há quase um mês fiz o curso na plataforma, que me ajudou a conversar no dia a dia com o Josué e com outros colegas com esta deficiência”, explica. Marco Aurélio afirmou que nunca pensou em aprender Libras, mas abraçou a oportunidade para poder ajudar ao próximo. Além de ter um melhor contato profissional, agora também orienta clientes na loja e até mesmo consegue amparar outros deficientes auditivos fora da unidade.

O gerente de Responsabilidade Social da Cencosud Brasil, Fábio de Oliveira, ressalta que a companhia valoriza o profissional pelas suas habilidades e que todos podem concorrer as vagas disponíveis. “Temos vagas de trabalho específicas para pessoas com deficiência, mas as PcDs também podem concorrer a qualquer cargo disponível. Selecionamos os candidatos de acordo com suas competências, e todos são bem-vindos”, afirma.

O 3 de dezembro

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1992, o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, celebrado em 3 de dezembro, tem como objetivo a sensibilização da comunidade para os desafios enfrentados por PCDs. De acordo com a Lei Nº 13.146/15, a pessoa com deficiência é aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.