Diante do isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus, o cantor, compositor e escritor goiano Pedro Scalon resolveu fazer um bate-papo on-line sobre ansiedade com a psicóloga Ana Carolina Moura. A live no Instagram será neste sábado (28/03), às 20h. O evento, intitulado “Pedro em Casa – Fala Sobre Ansiedade”, será transmitido ao vivo no perfil @pedroscalonnetto.

Na ocasião, Pedro Scalon também apresentará canções do seu último trabalho, Translúcido. A produção conta com 10 músicas, lançadas a cada mês. O goiano já apresentou ao público os singles “Meu Lar”, “Reencontro”, “Deixa”, “O Amor Transforma” e “Tudo Blue”.

Para a psicóloga que vai participar da live, lidar com a ansiedade nesse período de quarentena é um desafio que convida a pessoa reconectar consigo mesma. “É uma situação que gera total descontrole. A gente precisa desacelerar, mas não estamos acostumados. Estar em casa abre a possibilidade de perceber as sensações corporais: se está comendo demais, se não consegue ficar quieto. É momento de parar e se escutar.”

Ana Carolina Moura recomenda criar uma rotina, mas com atividades que sejam agradáveis de executar. Também pode ser o momento de criar novos projetos e desengavetar ideias que nunca saíram do papel, nem que seja ler um livro que há tempos tinha vontade, por exemplo. E, claro, não se desconectar do mundo. “Importante não perder o contato social com as pessoas, nem que seja por mensagens, ligações telefônicas ou por vídeos”, disse a psicóloga.

Já sobre como artistas devem trabalhar a angústia que o isolamento social pode causar, Ana Carolina chama a atenção para o processo criativo. “É um convite para resgatar as próprias percepções: o que está pensando, o que está sentindo, quais as suas vontades. E os músicos precisam disso, pois lidam diretamente com a arte, com a emoção”, analisou.

Pedro Scalon tem se baseado em cinco tópicos para equilibrar a sua ansiedade: meditação, contemplação, alimentação, sono e atividade física. “Estou escrevendo mais um livro, intitulado Arte do Belo-Suma Poética, compondo praticamente uma música por dia, além de lives e produção de material para as redes sociais, como vídeos das músicas ao vivo”, contou.

Mais sobre o Translúcido
Todas as canções desse trabalho são autorais. O cantor descreve suas composições como a forma que ele enxerga o mundo, “componho realmente o que eu vivo, sempre penso em coisas que possam tocar o íntimo das pessoas, mas levando-as a não ter um pensamento estático”. As composições do seu novo álbum foram feitas durante os últimos dois anos, momento em que se mudou de Goiânia para Brasília e teve um filho. Com o CD Translúcido, Pedro executou uma mudança de estética e linguagem.

O músico descreve o novo trabalho como uma fusão do Pop, do Rock, e da Música Popular Brasileira (MPB), mas com um forte teor poético. Ele, que inclusive tem duas antologias poéticas publicadas pela Secretaria de Cultura do Estado de Goiás, diz que gosta de compor sobre assuntos que darão margem para que as pessoas possam pensar criticamente, dando possibilidades maiores de interpretação.

No período de produção, Pedro escutava novos sons como John Mayer, Tiago Iorc e Maria Gadu, entre outros. A ideia era unir o moderno e o tradicional, “quando se trata de Pop, MPB e Rock, a Música Popular Brasileira precisa voltar a ter voz, precisa voltar a ser pulsante”, desabafa.

Sobre Ana Carolina Moura
Ana Carolina é psicóloga especialista em Gestalt-terapia, Arteterapia e em Gestão de Pessoas. É responsável pelo Armazém de Dentro: Psicologia e Cultura. O espaço conta com uma série de consultórios psicológicos e funciona na Rua 118, nº 303, Setor Sul, em Goiânia.