Após a exposição individual Espetáculo, uma mostra que trouxe para a Época Galeria de Arte, em novembro passado, a leitura lúdica dos espetáculos e seus públicos em 40 obras inéditas, a artista plástica goiana Eloisa Lobo, realizou na terça-feira (09/04)  uma pintura ao vivo em um mural na entrada da galeria.

Quem passar pela Avenida 136, localizada no Setor Marista vai contemplar a evolução e criação da obra ao longo dos dois dias previstos para a execução da obra. “É uma honra receber um convite como esse. E de contrapartida poder presentear um espaço de 20 metros quadrados que integra a fachada da maior galeria de arte de Goiás, a Época Galeria de Arte, a qual admiro e tem sido minha maior influenciadora no Estado”, afirma a artista, que tem suas obras expostas e comercializadas no salão.

A gerente comercial da galeria, Cristiane Melo, afirma que a iniciativa visa proporcionar ao público a experiência de apreciar uma obra sendo criada ao vivo e que depois ficará de forma permanente. “É uma forma de permitir o acesso à arte e proporcionar essa proximidade entre o artista e o seu público”, argumenta Cristiane.

Detalhes da obra

A artista propõe realizar uma obra com leitura crítica, que envolverá natureza, aves, ouro e o martírio dos inconscientes com traços harmônicos envolvidos pela ausência das cores. “Uma obra que fala, que grita e pede socorro”, revela Eloisa, explicando que por meio desta iniciativa, ela se sente responsável em expressar e levar a sua arte para locais de fácil acesso na Capital.

Segundo ela, a proposta é discutir e elevar assuntos doces com gosto amargo. Iniciativas semelhantes têm surgido, ampliando o acesso à arte e abrindo portas para um mercado crescente de grandes artistas brasileiros. “Acho necessário para a cultura de um povo e desenvolvimento de uma nação a expressão artística que amplia a visão de mundo. Empoderar-me de um instrumento tão valioso, como é a arte, me dá a responsabilidade de expressar e discutir temas tão importantes de uma forma suave e dramática”, ressalta.

A artista

Natural de Goiânia (GO), Eloisa Lobo começou a rabiscar muito cedo instigada pela curiosidade por traços, formas e cores. Autodidata, mais tarde passou a reproduzir com tinta óleo sobre vidro os rostos de artistas famosos vendo assim uma oportunidade de colocar seu trabalho em prática. Aos 18 anos, sentiu que queria potencializar ainda mais sua vocação artística, entrou na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (UFG) e formou-se em 1994.

A carreira artística, sua paixão, não era ainda encarada como profissão, lugar ocupado pela Publicidade. Foram 20 anos assinando inúmeras campanhas regionais e nacionais. Nesse meio tempo chegou à direção de arte executando traços profissionais e se desenvolvendo em diversas áreas da comunicação. Em 2014, criou a série Exaustão, um retrato claro da fadiga do presente e da loucura dos dias. Os desenhos despertaram a atenção de galeristas e a artista foi convidada para expor suas obras conquistando assim o mercado regional. Após o sucesso desta trajetória, decidiu seguir exclusivamente a carreira artística do qual se aperfeiçoa diariamente. Hoje continua morando em Goiânia, onde tem seu estúdio e vive pela arte.

Eloisa Lobo tem conquistado aplausos do público e o reconhecimento de galerias de renome em Goiás e Brasília. A artista também participou da Mostra Casa Cor nos anos de 2016, 2017 e 2018. Participou de várias coletivas e em novembro de 2018 fez sua primeira individual intitulada Espetáculo em Goiânia com 40 obras inéditas.

Traços

O trabalho de Eloisa Lobo tem uma identidade marcante e única. Circulando livremente entre fases bem estudadas e de fácil visualização, com as quais faz o público brincar, se divertir e se emocionar. E é harmonizando pinceladas simples com a delicadeza de traços trêmulos que a artista traduz a sutileza das cores por meio de figuras fantásticas, sempre com mãos longas e pés destacados. Bases fundamentais para quem gosta deste picadeiro das formas. Seja bem-vindo ao meu mundo lúdico.

Temática

O circo é a grande paixão de Eloisa Lobo. Nas suas obras, a artista fala da vida, dos encantos e do cotidiano a partir do mundo lúdico e cheios de emoções representado no picadeiro. Ela pinta a leveza do salto da bailarina, toda a habilidade do malabarista, os equilibristas e a admiração do público pelo espetáculo. Por outro lado, a artista combina atrocidades da vida real com o belo e aquilo que é tão duro se torna encantador, como uma mulher sem cabeça ou uma bailarina com pés grandes e tortos. O circo é a desculpa para falar da vida.

Séries

Drama: Entre belezas e horrores, está a série drama, que navega pelas inquietações da artista, seja para retratar o louvor dos aplausos trazidos pelos palcos ou para falar das lágrimas enxugadas pelas cortinas nos bastidores. Colorindo o caos, Eloisa Lobo denuncia e representa atos opressores, medos, discriminações e outras mazelas por meio de interpretações únicas, fortes e sensíveis.

Espetáculo: Do que vale todo o conhecimento sem a sensibilidade? Todo o acesso a informação sem a busca pela inteligência? Do que vale olhos arregalados para ler, sem mentes abertas para compreender?  Na série espetáculo a artista questiona a era da informação com imagens que revelam seu incômodo com a ausência de conteúdo que coisifica a cultura.  Em busca de profundidade, Eloisa Lobo mergulha em suas percepções para ilustrar o quão raso nos tornamos ao nos tornarmos instantâneos, tal como um post nas redes sociais. Para ela a riqueza do circo dentro de uma biblioteca de analfabetos.

Águas: Rara e preciosa, nos inunda e, quando em escassez, nos esvazia de sentido.  Tal como a água, a emoção é vital para a existência de uma alma artista manter-se hidratada pela inspiração. E é navegando por suas emoções e inspirada pelas acrobacias de grandes espetáculos circenses, como as hipnóticas apresentações do Cirque du Soleil, que a artista mergulha suas criaturas lúdicas em um picadeiro de azuis. Nesta série, Eloisa Lobo traz as águas para dentro do espetáculo mostrando a calmaria e a presença constante dos movimentos harmônicos.