Boas notícias para o “Minha Casa minha Vida”

O programa que contemplou mais de 1 milhão de moradias em sua primeira fase começa a sofrer as primeiras alterações desde o afastamento da presidente Dilma Roussef, embaixadora e defensora do programa, mas as notícias são animadoras.

Em maio, o governo representado por Temer anunciou cortes e mudanças no programa, e de acordo com o site Brasil 247, de grande veiculação nacional , a notícia oficial era:

Com novo nome e sem subsídios para famílias de baixa renda, programa habitacional praticamente chega ao fim; o governo interino de Michel Temer (PMDB) decidiu acabar com os subsídios concedidos aos mutuários mais pobres do Minha Casa Minha Vida; o programa deixará de receber recursos do Tesouro Nacional, para subsidiar as famílias enquadradas na faixa 1 (renda de até R$ 1.800) e na faixa 2 (até R$ 3.600); além disso, o programa, uma das marcas dos governos Lula e Dilma, mudará de nome; a terceira etapa do Minha Casa está sendo totalmente reformulada pelo Ministério das Cidades e deverá ser relançada com uma meta menor, de até 1,5 milhão de unidades nos próximos três anos, metade do que foi prometido pela presidente Dilma Rousseff em 2014; o “relançamento” do programa, como política habitacional do governo Temer, só ocorrerá se o afastamento definitivo da presidente for aprovado pelo Senado, para evitar atritos com parlamentares; a senadora Gleisi Hoffmann (PT) criticou o corte no programa: “O subsídio é a essência do programa. Além de retirar das pessoas o acesso à moradia será um desserviço ao desenvolvimento da economia local. O programa gera milhares de empregos.

Após manifestações, o recuo foi inevitável. Protestos liderados pelo grupo “povo sem medo” mostraram a importância do programa para as famílias e a pressão foi tanta, que o governo federal cedeu. O Ministério das Cidades alega que o recuo não teve relação com as manifestações. A assessoria da pasta afirma que a revogação do dia 17 era temporária e foi realizada para revisão de procedimentos. As mesmas organizações habilitadas na gestão de Dilma devem seguir coordenando o Minha Casa, Minha Vida na modalidade Entidades.

Em Goiás, a seleção das famílias é feita pelas prefeituras municipais, juntamente com o sorteio e a entrega. É um sonho sendo realizado para muitas famílias com baixa renda e outras oportunidades de conseguir a casa própria. As regras básicas continuam as mesmas: Para realizar sua inscrição , não pode ter nenhum imóvel financiado e nem mesmo quitado em seu nome, não podendo também ter utilizado FGTS para financiamento de imóvel durante 5 anos, e não poderá ter restrição de crédito.

As notícias são boas , pelo menos por enquanto. Vale ressaltar que como estamos num país em que as coisas mudam em um período menor que uma partida de futebol, não perca tempo: Vá até o site oficial www.minhacasaminhavida.com.br e boa sorte!