A ciência está sempre buscando novas respostas para o tratamento de pessoas com autismo ou desenvolvimento atípico. Afinal, o TEA (Transtorno do Espectro Autista) atinge 1 em cada 59 crianças, segundo projeção do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (EUA). E uma dessas principais inovações no tratamento do autismo, os programas de intervenção baseados na Análise Aplicada do Comportamento (ABA), hoje considerados como tratamento baseado em evidências científicas de melhoras significativas para o desenvolvimento atípico (em especial o TEA), será apresentada em Goiânia pelo professor Ph. D. em análise aplicada do comportamento Thomas Higbee, dos EUA. Ele fará a apresentação nos dias 13 e 14 de novembro, em evento acadêmico que ocorrerá das 8h às 17h, no auditório da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), no Setor Oeste.

Considerado um dos maiores cientistas do mundo na pesquisa comportamental para TEA, Higbee vem à capital pela primeira vez para ministrar minicursos e mentorias voltados a profissionais que trabalham com pessoas com TEA ou desenvolvimento atípico. Thomas Higbee vai abordar assuntos como roteiros sociais, manejo de comportamentos, avaliação de preferência, ensino naturalístico e building compliance, que são intervenções estruturadas com o intuito de favorecer a avaliação e o acompanhamento do tratamento do autismo. Essas intervenções são realizadas pelos profissionais das equipes terapêuticas, integradas por psicólogos comportamentais, psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e musicoterapeutas.

“Do ponto de vista científico, a visita do professor Thomas a Goiânia representa um grande marco tanto para os profissionais que atendem pessoas com autismo, quanto para pacientes e familiares de indivíduos no TEA. Thomas Higbee é um cientista respeitado em todo o mundo, e muito da credibilidade que ele tem hoje foi construída pelo compromisso que ele assumiu de disseminar intervenções comportamentais intensivas e precoces para crianças com autismo, buscando a aquisição de habilidades que estão em déficit e diminuir a frequência de comportamentos inadequados em pessoas com desenvolvimento atípico” comenta a psicóloga analista do comportamento Leana Bernardes.

O Transtorno do Espectro Autista é um termo geral que descreve um grupo de transtornos complexos do neurodesenvolvimento cujas principais características são déficits na comunicação, interação social e problemas comportamentais significativos, e padrões restritos de interesse. Apesar de não ter cura, estudos apontam que o TEA é tratável com diagnóstico e intervenção intensiva e precoce.

Os minicursos e mentorias de Thomas Higbee em Goiânia já têm participação confirmada de profissionais de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Tocantins e Distrito Federal. A programação será realizada pelo Igac (Instituto Goiano de Análise do Comportamento), com apoio da startup ABA+ e do Ciec (Centro de Intervenções e Estudos Comportamentais).

Tecnologia a favor dos autistas

A ABA+, que é de Goiânia, desenvolveu o primeiro software original do Centro-Oeste projetado para dar às equipes terapêuticas o quadro individual do desenvolvimento de cada criança. Isso permite, por exemplo, poupar o paciente de tarefas que ele já executa satisfatoriamente, evitando o estresse que a criança teria ao ter que repetir exercícios só para cumprir o que determina o plano terapêutico, sem considerar a evolução pessoal do autista.


Outro benefício do software é que, diante deste panorama individual do tratamento, o paciente é levado a um atendimento personalizado, considerando a unicidade peculiar do espectro. Chamada de ABA+, a ferramenta recebeu esse nome em alusão à sigla americana para Análise Aplicada do Comportamento, ABA (Applied Behavior Analysis), como ficou mais conhecida no Brasil. Segundo Leana Bernardes, a ABA é mais indicada e, atualmente, é considerada como tratamento baseado em evidências científicas de melhoras significativas para o desenvolvimento atípico, em especial o TEA. “Por ser estruturada, permite a utilização de tecnologias para evolução do processo. É justamente essa demanda que o software ABA+ busca suprir, ajudando no alcance dessa evolução”, diz Vinícius Reis, analista de sistemas desenvolvedor do ABA+.


Quem é Thomas Higbee

Thomas Higbee é Ph.D., BCBA-D, LBA da Universidade de Utah (EUA). É diretor do programa de autismo Assert (Serviços de Apoio para Autismo: Educação, Pesquisa e Treinamento) e trabalha no Departamento Especial de Reabilitação daquela universidade. Ele está comprometido com a disseminação de intervenções comportamentais eficazes e ajudou a criar programas intensivos analítico comportamentais pré-escolares e escolares para crianças com autismo e distúrbios relacionados no Brasil.

SERVIÇO

Minicursos e mentorias com especialista em autismo Thomas Higbee

Quando: 13 e 14 de novembro (quarta e quinta-feira)
Horário: das 8h às 17h
Local: Auditório da CDL Goiânia
Endereço: Rua 8, n. 626, Edifício da CDL Goiânia, Setor Oeste, Goiânia (GO)
Inscrições: https://bit.ly/2nSCjjg