No dia 29 de maio é celebrado o Dia Mundial da Saúde Digestiva, que tem por principal objetivo conscientizar a população e os profissionais de saúde da importância de identificar e classificar os sintomas de forma correta e tratá-los rapidamente. Além disso, a data visa promover uma mudança saudável de alimentação e de estilo de vida, já que a saúde e o bom funcionamento do sistema digestivo são extremamente afetados pelos alimentos consumidos e pelo estilo de vida.

Dados apresentados pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) apontam que a predominância das doenças de trato gastrointestinal na população brasileira é significativa. “A gastrite e o refluxo são as doenças que mais frequentemente atingem o sistema digestivo. Em ambas não há cura, no entanto, se o paciente tiver uma boa alimentação e tomar a medicação corretamente, pode passar muito tempo sem ter uma crise”, explica a gastroenterologista do Cais Vila Nova, Mirela Rebouças.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), estima-se que 70% da população do Brasil seja portadora da gastrite. Se a doença não for tratada e se o causador da lesão gástrica não for eliminado da vida e dos hábitos do paciente – medicamentos anti-inflamatórios ou álcool, por exemplo – a situação pode se agravar bastante, resultando em outros males como úlcera, gastrite crônica, atrofia gástrica e até mesmo câncer.

Para a Associação Brasileira de Prevenção do Câncer de Intestino (Abrapreci), há certas dicas que devem ser seguidas para melhorar a digestão e, consequentemente, melhorar a saúde como um todo, prevenindo o sistema digestivo de doenças e obtendo uma sensação de bem-estar. Dentre essas dicas estão: controlar o estresse, manter-se hidratado e exercitar-se regularmente.

De acordo com Mirela Rebouças, para uma correta orientação e o rápido acesso ao tratamento, a pessoa deve, primeiramente consultar-se com um clínico geral e a partir de então será encaminhado a um especialista. O agendamento de consultas com o clínico deve ser feito pelo usuário por meio do Teleconsulta (0800 646 1560). A partir do acompanhamento com o gastroenterologista serão pedidos ao paciente alguns exames, sendo os mais comuns a endoscopia, a colonoscopia, o ultrassom de abdômen e exames laboratoriais. Depois disso, inicia-se o tratamento adequado.