Apesar de todas as intempéries desse ano de 2020, o DIGO – Festival da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás bateu recorde no número de inscritos. Só o estado de São Paulo teve 123 filmes (21,5%). Em segundo lugar ficou o Rio de Janeiro com 64 filmes.  O estado de Goiás e o Distrito Federal inscreveram 25 filmes cada (8,8%). Para a Mostra Internacional os dois países com maior representatividade foi à Alemanha com 40 filmes e a Espanha com 23. No geral, 19,7% das obras foram dirigidas por mulheres.

“Envelhecimento LGBTI+” é o tema central dessa edição do DIGO e filmes como: “Homens Pink”, “Ruth” e “Grisalhos” vão gerar reflexões sobre esse momento conflitante da vida. Outro destaque é que o festival em parceria com Coletivo “Uns Por Todes” terá sua continuidade no interior de Goiás. A exibição de filmes ocorrerá precisamente na cidade de Goianésia, do dia 26 ao dia 29 de novembro.

O DIGO trouxe para essa edição os melhores filmes da Mostra Especial do Cineversátil da Argentina. O Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás integra a DIVERCILAC – Rede de Festivais de Cinema LGBTI da América Latina e do Caribe. O objetivo é consolidar essa parceria internacional, como ainda oportunizar o acesso a obras feitas em outros países. Ou seja, diferentes linguagens e concepções sobre essa 7ª arte.

O DIGO – Festival da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás tem o apoio institucional do Fundo de Arte e Cultura de Goiás (2018) e o apoio do Pride Bank, da Academia Internacional de Cinema e do Teatro Zabriskie. Nessa edição a primeira mulher a produzir um filme em Goiás, Rosa Berardo será homenageada pelo festival.  Além disso, Rafael Lisita que participou ativamente na realização da primeira edição do festival receberá as honras do “DIGO AMIGO”.

Filmes selecionados

Longas Metragens:

  1. A Mulher da Luz Própria, Sinai Sganzerla  (2019, 81´  doc, SP)
  2. Homens Pink, Renato Turnes,  (2020, 51´  doc, SC)
  3. Madame, André da Costa Pinto e Nathan Cirino, (2019, 80´ doc, RJ )
  4. Que os Olhos Ruins Não te Enxerguem, Roberto Maty ((2019, 74´doc, SP)
  5. Miss Amazonas, Rafael Polar (2019, 80´doc, Peru)

Mostra Nacionais:

  1. Beat 97, Washington Calegari, (2020, 12´ ficção, SP)
  2. Espavento, Ana Francelino (2019, 23´ ficção, CE)
  3. Inabitáveis, Anderson Bardot (2020, 25´ Exp. ficção, ES)
  4. Lésbica Enrustida, Bia Lee (2020, 6´ ficção, SP)
  5. Marie, Leo Tabosa  (2019, 25´ ficção, PE)
  6. Meninos Rimam, Lucas Nunes (2020 ,20´ ficção, SP)
  7. Minha História é Outra, Mariana Campos,  (2019 ,22´ doc, RJ)
  8. Não Me Chame Assim, Diego Migliorini (2019 ,16´30 ficção, PR)
  9. Os Últimos Românticos do Mundo, Henrique Arruda (2020, 23´ PE)
  10. Perifericu, Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira (2019, 20´ ficção, SP)
  11. Volta Seca, Roberto Veiga (2019 ,21´ ficção, PE)

Mostra Internacionais

  1. A Throne For Miss Ghana, David MuÑoz  (2020, 20′, Espanha)
  2. Eat the Rainbow, Brian Benson, (2019, 25′, ficção, EUA)
  3. Kiko’s Saints, Manuel Marmier (2019, 25′, ficção França)
  4. I Can Explain It, Hernán González (2019, 25′, ficção, Argentina)
  5. Love, Paper, Scissors, Plamen Marinov (2019, 21’20, ficção, Bulgária/ Holanda)
  6. Sex Shop, Isabel Casanova (2019, 12´, ficção, Espanha)
  7. Tandem, Vivian Altman (2019, 11´, animação, Brasil/França)
  8. Uncoloured Girl,  Charlie García Villalb (2019, 15´50, ficção, Espanha)

 

Mostra Suzy Capó:

  1. Alano, Sílvio Leal e Henrique Oliveira (2019, 22´ ficção, AL)
  2. Alfazema,Sabrina Fidalgo (2019, 24´ ficção, RJ)
  3. Batom Vermelho Sangue, R.B. Lima (2020, 20´, docuficção, PB)
  4. Copacabana Madureira, Leonardo Martinelli (2020,18´ doc, RJ)
  5. Depois Daquela Festa, Caio Scot  (2019,15´ ficção, RJ)
  6. Grisalhos, Raniere Aciole (2019,15´ ficção, SP)
  7. Lalla, José Salazar  (2018, 13´ ficção, França)
  8. Modelo Morto, Modelo Vivo, Iuri Bermudes e Leona Jhovs  (2019,25´ Ficção, SP)
  9. Sabrina, Jessica Barreto  (2019,19´ doc, SP)
  10. Respeito, mas não aceito, Direção Coletiva (2019,13’33” doc, SP)
  11. Ruth, Igor Dalbone  (2019,15,40´ doc, SP)

Mostra Goianos:

  1. O Arco-íris tem Sete Cores, Iury Bueno (2019, 12´, ficção)
  2. A Colheita, Guilherme SF (2019, 8´43, ficção)
  3. A Origem de Zelda, Pedro Arthur Crivello (2019, 14´ Doc)
  4. Nem Puta nem Santa, Alana Ferreira (2019, 7´ Exp.)
  5. Verde Cor de Rosa, Vincent Glen Gielen,  (2019, 23´ Doc)

Mostra Paralela Novo Olhar

  1. As rendas de Dinho, Adriane Canan (2020, 25´doc, SC)
  2. ASTIGMA – Resenhas Experimentais, Tainá Pompéo (2019, 8´, exp, GO)
  3. Me leve a sério mas me traga de volta, Mateus Capelo. (2020, 12´, exp, SP)
  4. sete e dois, Bruno Novadvorski (2020, 12´, exp, SP)

Mostra DIVERCILAC – Filmes da Rede de Festivais LGBTI+ da América Latina e Caribe

  1. A sus libertades alas, Patricia Ríos. (2020, 9´14, ficção, México)
  2. Encrucijada. Entre la fe y la sexualidad, Carlos López (13’15, 2020, doc, México)
  3. Huracán Bertam,  Daniela Aguinsky (2020, 14´50, doc  Argentina)
  4. Moros en la costa, Damiá Serra Cauchetiez (2019, 16’50, ficcao, Espanha)
  5. Sigues aqui, Andrea Hornedo. (2020, 10´32, ficção México)
  6. Una Receta Familiar, Lucía Paz (2020, 11´25, ficção Argentina)

SERVIÇO:

DIGO – Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Quando: 5/11 ao dia 20/11

Onde: digofestival.com.br

Mais informações: (62) 98566-6077 – Amanda Costa (assessora de imprensa)

Gratuito!

Censura 18 anos