Entrevista EXCLUSIVA com Marco da Silva

2765

Marco da Silva tem 36 anos. Nasceu na Alemanha, é filho de portugueses e mora em Londres. E sim, ele fala bem o português! Prova disso é que ele foi escolhido pela equipe de Britney Spears(ele faz parte da turnê atual da cantora, a Femme Fatale Tour, que virá ao Brasil em novembro) para anunciar, em português a vinda da Turnê à América Latina.

Além de bailarino bem sucedido, o Marco é coreógrafo, ator, modelo e DJ.

Antes de entrar de cabeça nos shows das divas do pop e trabalhar para Kylie Minogue, Mariah Carey, Geri Halliwell, Janet Jackson e, agora, Britney Spears, o nosso “Marcão” entrou para um grupo de música folclórica portuguesa. Isso mesmo, este foi o  início da carreira dele, como dançarino e por sete anos neste grupo.

Em entrevista exclusiva ao O Confessionário, Marco da Silva fala sobre a carreira como dançarino e DJ, além de comentar sobre a sua vinda ao Brasil com Britney. Acredita que o boy se sente super bem no Rio de Janeiro? Confira:

O Confessionário agradece a oportunidade desta entrevista. É um prazer enorme ter a honra de entrevista-lo.

O Confessionário – Bom, você é dançarino, modelo, jurado e DJ, você está lançou seu primeiro álbum no começo de 2011. Como você se sente? E como seus fãs estão respondendo ao seu trabalho?

Marco: É uma nova jornada que eu estou tomando e uma conquista de um sonho, que há muito eu tinha. O CD é exatamente onde me encontro profissionalmente na música. Meus fãs aparentam amar… E o que é mais interessante e empolgante disso tudo é que a maior parte dos meus fãs vêm do mundo POP, mas que estão se abrindo para novas experiências musicais.

O Confessionário – Falando no seu novo álbum, quais são as influências? Como você descreveria as faixas? Tem alguma favorita?

Marco: O som é progressivo, tribal e cheio de vocais soul e, se você prestar bastante atenção, o CD traz até uma mensagem. Claro que o som tem inspiração e influência de meu mentor, o amigo e também DJ Peter Rauhofer. Ele me ensinou muito. Minha música preferida é Don’t Give It Up, que fala sobre não menosprezar as coisas simples da vida, como honestidade, confiança e amor…

O Confessionário – Tendo trabalhado com tantas divas do POP de nossa geração, como Madonna, Janet Jackson, Kylie Minogue e agora Britney Spears, o que você aprendeu dessas experiências? Como você se sente quando esta prestes a subir ao palco?

Marco: É exatamente pelo que trabalhamos tanto. Todos os anos de treinamento e suor são compensados no segundo em que as luzes se acendem e escutamos os fãs gritando. Esse é o melhor sentimento que um dançarino pode sentir. É a sensação de dever cumprido. Ensaiar com um artista consume muita energia, pois você quer ter certeza de que você deu 100% de si a todo tempo. É também um período de trabalho em que se pode ver e vivenciar o artista intimamente, o que é muito interessante, pois alguns são exatamente o oposto do que eles clamam ser…

O Confessionário – Rápido! Qual é a mais talentosa: Beyoncé, Britney, Kylie, Ciara, Rihanna ou Lady Gaga?

Marco: BEYONCÉ! Ela é o pacote completo: figurino, estilo, passos e, acima de tudo a VOZ!

O Confessionário – Você tem um corpo incrível… Qual a parte mais difícil da sua rotina? Como você mantém a forma? 

Marco – Eu não faço dieta, mas eu controlo muito o que como. Nada de frituras, refrigerantes e carboidratos depois das 6. Academia 4 vezes por semana… E pego MUITO peso. Uma vez por semana eu como o que quero, para dar ao corpo a gordura e o açúcar que a gente sempre precisa… Faço, obviamente, muitos exercícios cardíacos, já que sou dançarino. A parte mais difícil da minha rotina é ter que me lembrar de comer o suficiente. Eu estou sempre tão ocupado que muitas vezes me esqueço.

O Confessionário – Sobre suas tatuagens, quantas você tem? O que está escrito abaixo do seu peito?

Marco – Até agora são 34 tatuagens (rs)… Debaixo do meu peito está escrito “for those I Love I will sacrifice”, que diz muito sobre mim.

O Confessionário –  Você é considerado um ícone gay. Onde quer que você se apresente, o publico perde o fôlego! Então, você é gay? Se sim, está solteiro (rs)?

Marco – Já fui honrado com o título de Ícone Gay algumas vezes, e, ainda hoje, me sinto lisonjeado! Jamais poderia imaginar que as pessoas algum dia pensariam isso de mim. Lembro-me de quando era motivo de chacota na escola, nunca pertenci ao grupinho “descolado”. É ótimo poder mostrar pra todos que as coisas podem sim melhorar.

Sim, eu gosto de homens e sou GAY com muito orgulhoE defendo cada um dos direitos que nós devemos ter. Acabei de participar de uma campanha chamada NO8, além de estar envolvido, todos os anos, com o evento AmFAR Charity, que é uma fundação de pesquisa sobre a AIDS.

Então, obviamente já beijei um ou dois caras…

O Confessionário – Quais são as vantagens e desvantagens do mundo da dança?

Marco – Não vejo nenhuma desvantagem… Se eu tivesse que dizer uma, seria que o mundo do entretenimento não respeita os dançarinos como artistas. Sem eles, certamente não seria possível a existência de um show para alguns artistas. Se você é um dançarino de coração, não se importa tanto com essas coisas, faz parte do jogo.

O Confessionário – Você já viajou (viaja)  por todo o globo, visitou diferentes lugares… Qual sua cidade favorita? Esta ansioso para vir ao Brasil, com a Femme Fatale Tour?

Marco – Eu sempre amei Barcelona, amo a cidade, o povo, a cultura, a língua e tudo que há ali! Bom, se eu tivesse que viver no Brasil eu, definitivamente, seria um carioca de coração! Eu amo oRio… Eu preciso de água e praia perto de mim para estar feliz. As pessoas são amigáveis e eu souPortuguês, então me sentiria em casa. Sim, estou bem animado com a passagem da tour pelo Brasil, e contando os dias.

Mais uma vez, nós te agradecemos pelo seu tempo e paciência. Desejamos todo o saude e bastante sucesso a você, para que continue enchendo nossos olhos, a cada performance!

Agradecimento especial ao Manager de Marco, André Luíz Pinto que possibilitou que a entrevista fosse feita.

Para saber mais sobre este Deus Grego, clique aqui.

Gilvan Oliveira
Leonardo Portela
Alexandre Parrode