Entrevista EXCLUSIVA: Consuelo Blocker

2215

Orgulhosamente, o blog O Confessionário traz para vocês uma entrevista exclusiva com a blogueira e fashionista nata Consuelo Blocker! Carinhosamente chamada de Consu, ela é um exemplo da força e independência feminina. Mora na Itália e vive um sonho: viaja o mundo atrás de tendências, achados de moda e tudo que está in! Por hobby, e com um olhar único, ela captura belas imagens dos lugares que visita (e de pessoas que encontra por aí) em seu blog, do qual somos fãs assumidos!

Deliciem-se com um bate-papo super fashion abaixo:

O Confessionário – Vamos começar a entrevista conhecendo um pouco mais sobre você. Resuma Consuelo Blocker em poucas palavras. (Paixões, vida, filhos, trabalho, preferências…)

Nasci 47 anos atrás de pais lindos, inteligentes e bem sucedidos.  Sempre tentei fazer tudo com extrema dedicação e seriedade, para não ficar para trás.  Mas na beleza não tinha jeito, era o patinho feio.  Então decidi ser gorda na minha adolescência, assim não precisava competir.

Hoje sou outra mulher.  Bem mais segura de mim.  Mãe, profissional e bem amada (demorou 4 homens importantes, para encontrar aquele que posso chamar de “homem da minha vida”).  Me sinto hoje uma mulher com o seu charme.  Não tenho as medidas perfeitas, mas sei usar o que tenho de melhor para chamar a atenção: os olhos, o humor e a inteligência.

O Confessionário – Agora, a inevitável pergunta: Como você entrou para o mundo da moda. Desde pequena era isso que você queria fazer. Sua mãe e os negócios da família influenciaram muito nesta decisão.

Quando estava na universidade Brown em Rhode Island nos Estados Unidos, fui à pessoa que nos ajudava a encontrar o nosso caminho profissional.  Os americanos são muito organizados.

Disse que gostava de moda, que era o business da família de minha mãe, mas que também tinha jeito para negócios, que era o lado do meu pai.  Ele então me sugeriu de entrar em retail que acho em português se chame comércio.  Comecei a trabalhar na Bloomingdale’s em Nova Iorque em 1986.

O Confessionário – Consu (se é que podemos te chamar assim, rs!), de onde partiu a idéia de morar nos EUA e estudar moda em Rhode Island. Como foi trabalhar na Bloomingdale’s. Além da loja, o que mais você fazia?

Lógico que podem me chamar de Consu…já somos íntimos!!!  Meu pai é descendente de americanos, por isso e outras razões sempre cursei escolas americanas.  Quando foi hora de decidir qual universidade queria ir, não foi uma decisão tão difícil assim…  Visitei várias escolas com meu pai em uma semana deslumbrante de folhas douradas do Outono do nordeste americano.  Com Brown foi amor a primeira vista.  É uma escola renomada,  linda, perto de Nova Iorque mas não lá (se tivesse estudado em Manhattan, nunca teria terminado a faculdade!!!! Distrações demais!!!), com um grande número de estudantes estrangeiros, e todos de inteligência impar.  Trabalhar no executive training program da Bloomingdale’s, quase nem precisa dizer, foi ultra instrutivo!  Aprendi todo o ABC do comércio, da organização, administração à estratégia; tudo sobre salto alto E meia calça, que nos anos 80 se usava, viu!

O Confessionário – Morar na Itália deve ser maravilhoso! O que mais te fascina na vida na Europa?

A Europa carrega a responsabilidade da sua história.  Ao mesmo tempo que linda, chique e sofisticada, tem dificuldade em permanecer moderna e pertinente.  Com isso, vivendo aqui, absorvemos a importância de um pé direito alto (da proporção), porque certos comidas combinam com certos vinhos (do equilíbrio), a postura, a educação, a história, a beleza…Acredito que unido à nossa vitalidade brasileira pode enriquecer muito uma pessoa.

O Confessionário – Já que falamos de lugares… Qual sua cidade preferida? Se tivesse que escolher um fashion spotem todo o mundo, onde faria suas compras?

A minha cidade favorita é Londres, se não fosse pelo clima.  É também onde mais gosto de fazer compras.

O Confessionário – Cada vez mais, estilistas renomados estão se rendendo às grandes lojas de departamento e produzindo coleções especiais. Qual sua opinião sobre a ‘popularização’ da moda.

Acho o máximo!! Acredito que este tipo de moda só adiciona, não tira de ninguém.  Ao demais, dá a oportunidade a mais pessoas de poderem se vestir bem.  As marcas mais caras tem que se adequar a este fenómeno, e ficar ainda melhores.

O Confessionário – Você tem algum estilista favorito? E algum desfile inesquecível?

Na história da moda, o meu estilista favorito é o Cristóbal Balenciaga.  No momento, é o Dries Van Noten, como criatividade, e a Miuccia Prada para vestir.

O meu desfile inesquecível foi em 1989 em Paris do Romeo Gigli.  Ele criou gotas de cristais venezianos de Murano que costurou nas roupas e bainhas.  Quando as modelos andavam, criavam um som que junto à luz, à cor das peças e à música, emocionaram.  Chorei.

O Confessionário – Qual peça não pode faltar jamais no guarda-roupa de um homem moderno? E no do seu namorado, o que você não o deixa ficar sem?

Um blazer azul com corte moderno.  É peça curinga que pode ser colocado com camiseta e camisa para fora de uma calça esportiva ou jeans sem gravata em ocasiões informais.  É quase um uniforme Italiano. Já com gravata, é perfeito em ocasiões mais formais.

Prefiro meu namorado sem nada…

O Confessionário – Para finalizar… Já fizeram esta mesma pergunta a Donatella Versace, e gostaríamos de repeti-la: ‘Qual item ou tendência você aboliria, passaria uma borracha, se tivesse tal poder?’ (Donatella respondeu ombreiras)

Donatella respondeu ombreiras porque ela é baixinha e fica muito mal com elas.  Mas que a Versace faturou muito com ombreiras, faturou.

Com todo o respeito por quem usa, eu absolutamente abolirei o uso de unhas do pé com french tips!!!!! ARRGGHHHH!!! Tem que ser compridas…..uhhhhh odeio só pensar!!!!

 O Confessionário – Muito obrigado pelo seu tempo e carinho Consu!

Queridos, eu que agradeço, ADOREI dar esta entrevista!!!! Obrigada!

Por: Alexandre Parrode e  Gilvan Oliveira

Ah! Não deixem de visitar o blog da Consu clicando aqui.