No fim do mês de janeiro o Volks Clube de Goiás organizou em Goiânia uma exposição de Fuscas para comemorar o Dia Nacional do Fusca no país. Durante o evento conversamos com Hélder Pedro da Silva, secretário do Volks Clube, sobre o panorama do antigomobilismo no estado, um hobby antes acessível mas hoje com modelos populares sendo vendidos por cifras astronômicas.

Foto: Laio Andrade

 

iConnectGyn – O VW Clube de Goiás abrange apenas Fuscas ou é aberto para qualquer proprietário de modelos VW antigo?

Hélder Pedro – Ele é aberto a qualquer motor refrigerado a ar, o que chamamos de “air cooled”. Compreende, então, desde Fusca até Brasília, Variant, TL, TC, Karmann-Ghia e o Gol BX, primeiro fabricado, que vinha equipado com motor a ar, além do Puma, buggies e alguns modelos Gurgel com chassis e motores a ar da VW.

 

iConnect – Você tem ideia de quantos membros existem hoje no Volks Clube de Goiás?

Hélder – O Volks clube hoje tem perto de 400 associados. E por que eu digo “perto”? Ano passado nós não admitimos mais sócios por causa da inoperância devido à pandemia. Agora, com a flexibilização, estamos começando a abrir espaço para novos membros, mas ainda em doses “homeopáticas”. A fila de espera hoje para ingressar no Volks Clube é grande, mas a gente precisa tomar cuidado com a saúde de todos, os eventos têm sido reduzidos por causa da necessidade de distanciamento social.

 

iConnect – Qualquer pessoa proprietária de um Volkswagen refrigerado a ar pode entrar no clube ou vocês submetem os carros a uma vistoria prévia? Existem requisitos a serem cumpridos?

Hélder – O estatuto do clube tem algumas diretrizes. Dentre elas a qualidade do seu carro, a procedência do seu carro e do proprietário… Visamos muito a convivência em família, a interação entre os membros. Um dos requisitos é a passagem por um estágio probatório, já que não basta apenas ter um Fusca, por exemplo, e querer entrar. É preciso que o proprietário ame seu carro e cuide muito bem dele. O Fusca foi concebido para ser o carro do povo, mas hoje ele é um “brinquedo” de custo e manutenção caras; por isso a gente seleciona bem os candidatos, mesmo porque não queremos pessoas que chegam hoje e resolvem sair amanhã. Buscamos gente participativa.

Foto: Laio Andrade

iConnect – Não faz muito tempo, o antigomobilismo era um hobby para entusiastas mas não necessariamente para ricos. Hoje, porém, os valores dos carros comercializados no mercado de antigomobilismo estão atingindo cifras inalcançáveis. Qual sua opinião sobre isso, especialmente em relação ao mercado aqui no Brasil e até em Goiás?

Hélder – Acho que o mercado tem inflacionado muito. Está certo que os carros têm valor, a maior parte dele sentimental, mas está além do que precisava estar. Existem Kombis, por exemplo, sendo vendidas por cem mil dólares. Ela tem o valor agregado por ser colecionável, mas eu acho esse valor um absurdo. Creio que o correto seria o mercado se popularizar para que mais pessoas pudessem entrar. Não falo sobre disponibilizar peças de baixa qualidade, mas de cobrar preços justos, mesmo com alta demanda. Acho até que a indústria de autopeças tinham que voltar a fabricar peças de certos modelos para aumentar a competitividade e baixar os preços.

 

iConnect – Os maiores eventos de antigomobilismo do país acontecem em Águas de Lindóia e Araxá. Existe previsão de realização de algum evento de maior porte organizado pelo Volks Clube aqui em Goiás?

Hélder – Sim. Este evento de hoje já seria um dos eventos grandes, mas por causa da pandemia foi preciso restringir. Em julho a gente costuma fazer um acampamento em Pirenópolis, com área de camping e atividades, e em nosso último encontro estiveram presentes quase 100 Fuscas. Mas estava no programa realizarmos um evento a nível nacional contando com nossos parceiros de outros estados, porque já fomos em Águas de Lindóia (SP), já fomos no Califórnia Volks de Ribeirão Preto (SP), a gente vai em Pomerode (SC), e queremos convidar os parceiros de lá para virem para cá. Por enquanto, porém, nossos projetos foram engavetados por causa dos efeitos da pandemia, mas realmente está nos nossos planos um evento a nível nacional. Goiânia é apaixonado por carros e especialmente por Fuscas.