Fazenda Babilônia viagem no tempo

2007

Quer fazer uma viagem no tempo até o Brasil colônia? Uma dica é visitar a Fazenda Babilônia em Pirenópolis a propriedade conserva até hoje heranças do período colonial e conta um pouco da historia do desenvolvimento do centro oeste brasileiro.

Vamos conhecer a história

No final do Século XVIII o Comendador Joaquim Alves de Oliveira em decorrência a decadência das minas de ouro, de Meia Ponte (hoje Pirenópolis), construiu o Engenho São Joaquim, primeiro nome da Fazenda Babilônia, que era um dos maiores engenhos de açúcar do Brasil, considerado como a maior empresa agrícola do Estado de Goiás. Na fazenda, além da cana de açúcar, plantava-se em escala industrial mandioca e algodão para a produção da farinha e fios de algodão para exportação. A produção desta fazenda era tão intensa que contava com cerca de 200 escravos, sendo 120 homens para o trabalho e 80 mulheres e crianças.

Apesar de não ser o foco de nosso assunto, vale lembrar que Comendador Joaquim Alves de Oliveira era um comandante liberal, patriota e humanitário e comprou uma tipografia na qual editou o primeiro jornal do Centro Oeste, a “Matutina Meiapontense” que circulou de 1830 a 1835, montou a primeira biblioteca de Goiás e trouxe professor para a educação da população.

Voltando a Fazenda babilônia a decadência do engenho iniciou-se mesmo antes da morte do Comendador, desiludido pela perda da esposa e filhos, pouco a pouco foi se desinteressando pelos negócios. Morreu em 1851 com 81 anos. Como não deixou herdeiros, deixou o Engenho São Joaquim, por testamento, ao seu braço-direito, seu genro o Sargento-mor Joaquim da Costa Teixeira.

Em 1864, Joaquim da Costa Teixeira vendeu-a para o Padre Simeão Estelita Lopes Zedes, bisavô da atual proprietária, Dona Telma Lopes Machado.

Babilônia hoje

O tempo cumpriu seu papel e desfez a senzala e oficinas, muros e estábulos, sobrando, por determinação da família, o belo casarão, sede da fazenda, com a casa, capela, varanda e o pátio do antigo engenho abrigados por um vasto telhado de duas águas de grandes telhas de barro. Devido a histórica importância a casa e suas dependências foram tombadas em 1965, inscritas no Livro de Belas Artes, nº 480 de 26/04/1965.

Com a construção de Brasília e o incremento do turismo em Pirenópolis, a Fazenda Babilônia tornou, gradativamente, local de visitação. Por iniciativa da atual proprietária, D. Telma, que nutre um incansável amor à história e às coisas de terra, em 1997 a fazenda foi aberta à visitação.

Hoje, a fazenda, além de trabalhar com pecuária, mantém o belo casarão, que preserva ainda cerca de 80% de sua originalidade. O casarão de grossas madeiras expostas, a capela, um pequeno museu de objetos antigos, sua história e o fabuloso e nutritivo café colonial, fazem da Fazenda babilônia a mais representativa fazenda histórica de Goiás, sendo objeto de estudos para teses de graduação e mestrado, pesquisas na área de arqueologia e história, destino de grupos de estudantes de todos os níveis, do médio ao superior, nas áreas de arquitetura, história, cultura e gastronomia.

Um resgate antropológico da culinária goiana.

O viagem histórica feito na Fazenda não se resume somente ao patrimônio e história, aos finais de semana e feriados na extensa mesa acompanhada de uma bela vista da fazenda, é servido uma fartíssima refeição composta de mais de 40 itens, o Café Sertanejo da Fazenda Babilônia. Feito com produtos da própria fazenda o café resgata receitas antigas, típicas de um Goiás rural e antigo. E tudo isso regado a suco de frutas da época e típicas da região, caldo de cana, leite e café.

comida

A fazenda e esse maravilhoso trabalho são conservados graças ao esforço da proprietária Telma que comanda todos os processos desse trabalho histórico cultural. Além de uma especialista na cozinha regional e resgate histórico da alimentação em Goiás, ela também é um historiadora que tem domínio sobre o período colonial em Goiás, o município de Meia Ponte e o Comendador Joaquim Alves. Ela faz um trabalho com escolas que visitam a fazenda, ela faz uma aula de história em loco com os alunos. Telma também participa de diversos festivais gastronômicos pelo país mostrando a riqueza da culinária goiana. Além de ter prestado consultoria a rede Globo, ministrando workshop ao elenco da novela Araguaia.

A fazenda já foi cenário de diversos filmes e duas novelas da Rede Globo: Renascer e Araguaia.

Veja um pouco mais da Fazenda Babilônia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

SERVIÇOS:

Fazenda Babilônia

Pirenópolis – Goiás.

Endereço: GO 431 – Km 3 – Pirenópolis – Goiás – Brasil

Telefones: 62.9294-1805 | 9291-1511

E-mail: contato@fazendababilonia.com.br

Facebook: facebook.com/FazendaBabilonia

Site: http://www.fazendababilonia.com.br

Aberta: Sábados , Domingos e feriados das 9:00 horas às 16;00 horas.

O café é servido até as 15:30 horas.