Representantes do mercado imobiliário conheceram a nova linha de empreendimentos da Elmo Incorporações, que será apresentado ao público até o final do ano. Batizada de Zayn, é a primeira linha boutique de Goiânia, um conceito inédito para os goianos, que expressará a nova linguagem do luxo.

“O conceito boutique vem para traduzir o que se tornou a verdadeira sofisticação atualmente, que dispensa os excessos, sem abrir mão do bom gosto; que busca um sentido para suas escolhas em uma nova realidade que lhe fez refletir sobre aquilo que é realmente importante”, explica o arquiteto e urbanista que assina o projeto, Paulo Renato Alves, diretor executivo da Norden Arquitetura.

O primeiro empreendimento da linha será o Zayn Home Marista, que irá destacar Goiânia no cenário nacional em termos desse novo conceito. O empreendimento localizado na Rua 146, no Setor Marista, foi concebido minuciosamente nos detalhes, com localização ímpar, fachada autoral e com exclusividade de dois apartamentos por andar. Além disso, os ambientes terão mobiliários e equipamentos das melhores marcas de design. Uma identidade olfativa própria, com fragrância única desenvolvida pela editora de perfumes da Eaux Parfums, Leonora Rocha Lima Nogueira, será entregue para as áreas comuns do empreendimento.

“O projeto permite várias alternativas dentro do mesmo valor e da mesma metragem. Cada proprietário poderá optar por plantas variadas, com layouts otimizados de acordo com suas necessidades, inclusive com a possibilidade de ter um home office próprio com entrada independente”, explicou Paulo Renato, ao lembrar que conceito boutique tem inspiração no princípio “menos é mais”, criado pelo arquiteto alemão pioneiro da arquitetura moderna, considerado o mestre do minimalismo, Ludwig Mies van der Rohe.

O diretor comercial da Elmo, Guilherme Rezende de Pinheiro, observa que em outros segmentos, como hotelaria, alimentação e vestuário, o conceito boutique já vem sendo utilizado, e a empresa abraçou o desafio de aplicá-lo ao mercado imobiliário. “Cada espaço foi pensado não só em função da arquitetura, mas das experiências, dos momentos que as pessoas irão viver ali”, acrescenta.