Em meio à luta pela vida e um árduo tratamento contra o câncer, cerca de 150 crianças em tratamento no Hospital Araújo Jorge tiveram, nesta segunda-feira (09/12), uma tarde diferente: de alegria e festa. Para comemorar o Natal, elas receberam a visita do Papai Noel e ganharam presentes arrecadados por voluntários e também entregues pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), como parte da campanha Natal do Bem.
Presidente de honra da OVG, a primeira-dama Gracinha Caiado era só gratidão ao falar da diferença que o voluntariado é capaz de fazer na vida de pacientes e seus familiares que enfrentam um tratamento tão complexo, como é o caso do câncer. “Nada é maior do que o amor, poder trazer um abraço, um sorriso e um carinho para essas crianças. É este o sentido da OVG, do voluntariado. É poder estar junto e participar com essas famílias. Trazer o amor é, acima de qualquer coisa, o mais importante”, ressaltou. A primeira-dama lembrou que o Araújo Jorge é referência de voluntariado no Estado e que, ter a satisfação de fazer parte desta festa de Natal, com a OVG, só traz alegria. “É propiciar um Natal um pouco mais feliz”, afirmou.
Em discurso e já emocionada, Gracinha Caiado pediu “sabedoria e humildade” para que, ao lado do governador Ronaldo Caiado, possa fazer a diferença na vida das pessoas. “Quero dizer que vocês têm a nossa ajuda e solidariedade, e não apenas hoje. Talvez não estejamos aqui, presencialmente, sempre. Mas estamos, sim, com atitudes e ações, porque sabemos o que vocês passam. Peço a Deus que lhes protejam, dê força e coragem”.
Além da distribuição de brinquedos, o dia dedicado às crianças contou com apresentações culturais. Um dos momentos mais aguardados, que gerou empolgação nas crianças, foi a chegada do Papai Noel. Todos queriam pegar no “bom velhinho”. Para fechar a programação, os pacientes e seus familiares conferiram um show exclusivo da dupla Di Paullo e Paulino.  Além deles, a diretora da Casa de Apoio São Luiz, Carmem Divina Silva, mãe do cantor Leonardo, também participou da festa. Ela é uma das voluntárias do hospital.
“A gente aprende com eles”
Considerada uma das voluntárias mais antigas do Hospital Araújo Jorge, Maria Amélia Amaral ressaltou a ajuda que recebe para a festa, ressaltou que não faz nada sozinha. “Um pedaço da minha vida está aqui dentro e quero mais 30 anos para continuar fazendo isso”, contou. Segundo ela, a festa faz muita diferença para as crianças. “A gente vê a alegria deles na hora de ver o Papai Noel. Esquecem um pouquinho da dor que estão passando. Trazemos as coisas, mas a gente leva muito mais, a gente aprende com eles a ser gente”, sublinhou.
Um dos mais empolgados na festa foi o pequeno Felipe Alves, 6. Ele não parou um minuto e interagiu o tempo todo com as apresentações. Inclusive, já estava jogando no auditório com a bola que ganhou. “Ele é desse jeito sempre, mesmo estando aqui fazendo o tratamento”, contou a mãe, Eliane Brandão.
Segundo o diretor-técnico do Hospital, Ricardo César, mais do que uma festa com presente, a atividade é importante para aumentar a imunidade das crianças, fundamental para a continuidade do tratamento. “Isso é um reforço ao tratamento. As pessoas não têm o conhecimento, a dimensão do quão é importante um ato deste para uma criança com câncer. É essencial que atitudes como essas se repliquem, e que tenhamos muitos dias alegres assim”, reforçou.
A diretora-geral da OVG, Adryanna de Melo Caiado, lembrou que, mais importante que a doação de brinquedos, é estar presente na unidade. “É trazer um acalento, um beijo, um abraço e tudo que no seu dia a dia possa ajudar. É muito interessant​e que a OVG participe com os brinquedos. Mas é fundamental, cada vez mais, ter voluntários para contribuir com o hospital e com essas crianças, com todo carinho”, disse.