A declaração do Imposto de Renda pode deixar muita gente preocupada no começo do ano, o que faz com que a maioria dos contribuintes deixem a obrigação para o prazo final. Então, para se organizar com antecedência e não correr o risco de cair em malha fina, o contador e presidente do Sescon-Goiás, Edson Cândido Pinto, listou algumas dicas, lembrando que o prazo para a entrega da declaração para pessoas físicas costuma começar em março e terminar em abril.

Edson, recomenda, a princípio, a começar a organizar os documentos. “Quanto antes começar, mais tranquilo o processo será. Por isso, separe os papéis referentes a dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja, endereço atualizado, cópia da última declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue, atividade profissional exercida atualmente, renda, informes de rendimentos de salários, pró-labore, distribuição de lucros, aposentadoria, pensão e todos gastos em geral”, pontua.

“O processo da Declaração do Imposto de Renda pode ser bem aproveitado, quando este ocorre dentro dessas orientações técnicas e também com ajuda de um profissional da área de contabilidade, para auxiliar e acompanhar todo levantamento dos documentos necessários na hora da declaração do IRPF”, reforça o presidente do Sescon-Goiás.

Com auxilio correto, o contribuinte minimiza erros e recolhimentos indevidos, já que muitos encontram dificuldades na hora de declarar o IRPF à Receita Federal ou em como preencher a declaração de forma correta. Contar com orientações técnicas e com ajuda de um profissional da área de contabilidade para evitar a temida malha fina é essencial.

“Nestes casos, contar com a experiência de um contador pode ser a melhor alternativa para evitar problemas com o Leão.  O nosso papel é evitar as dores de cabeça do declarante. O contador fornecerá todas as informações coerentes, além de minimizar o risco de cair na malha da Receita Federal”, diz Edson.

Certificado Digital

Outro ponto lembrado pela contadora e empresária Sucena Hummel, é considerar o uso do Certificado Digital nas declarações. Segundo ela, a tecnologia traz a “praticidade de validar o acesso diretamente ao ambiente da Receita Federal, permitindo escolher a maneira mais fácil e adequada para preenchimento e envio da declaração”.  Além disso, conforme explica, o processo facilita eventuais retificações e possibilita o acesso às cinco últimas declarações. 

A partir do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) da Receita Federal é possível também verificar dados, andamento da declaração, consultar fontes pagadoras e completar a declaração da forma mais correta possível.

Isentos

O caso de isenção de Imposto de Renda é válido quando o contribuinte não obteve rendas que juntas chegaram ao valor mínimo de rendimentos de 1º janeiro até 31 de dezembro de 2019. Neste ano, foram dispensados da declaração as pessoas com renda anual inferior a R$28.559,70 em 2018. Se você não sabe se tem direito à isenção ou não, vale a pena checar a tabela do Imposto de Renda. Inclusive, há muitas críticas sobre a falta de atualização dos valores das alíquotas que está em vigor desde 2015 e que ficou abaixo da inflação.