Mais do que simplesmente um adorno para os pets, as roupinhas são fundamentais nos meses mais frios do ano, especialmente para os filhotes e os mais idosos de pelo curto. Seja roupinha ou acessórios, tem uma coisa que está na moda o ano todo: o conforto. Um levantamento inédito do Instituto Pet Brasil mostra que a população de animais de estimação no Brasil é de cerca de 140 milhões, entre cães, gatos, peixes, aves e répteis e pequenos mamíferos.

A maioria é de cachorros (54,2 milhões) e felinos (23,9 milhões). “O perfil de cliente é muito diversificado. Antes eram pessoas mais velhas que moravam só. Hoje temos casais com filhos, solteiros e outras composições familiares que os bichinhos de estimação são como filhos. E todo mundo quer cuidar bem dos bichinhos”, explica Waldirene Gles, estilista pet da Loja Cantinho do Cachorro, do Estação da Moda Shopping, em Goiânia, e que atualmente está atendendo as clientes pelo instagram @cantinhodocachorro1.

A estilista pet explica que também existe tendência de moda para os animais e os donos investem nas trocas de coleções. As  estampas que estarão na moda no outono-inverno deste ano, por exemplo, são os clássicos xadrez, florais e o poá, que além das roupinhas, também devem aparecer nas bandanas. “As cores que posso destacar são o azul clássico e o vermelho mais fechado. Mas há aqueles que independente da moda preferem escolher os tecidos como os soft e plusch, que são bem macios. Não adianta o pet estar lindo, mas incomodado”, explica.

Seja macacão, camisetas, meias ou vestidos, para a peça durar mais, Waldirene aconselha a não lavar o produto na máquina. “Mas se não quiser lavar à mão ou não tiver tempo, use o modo ‘roupa delicada’, pois o cuidado deve ser semelhante aos de uma peça de bebê”, destaca a especialista.

Meu pet não quer colocar roupinha, e agora?
Para aqueles animais que são arredios ao uso de roupas, Waldirene aconselha a começar com roupas com tecidos confortáveis, por 30 minutos por dia, e ir aumentando o tempo gradativamente. “Quando o animal já estiver acostumado com a bandana, é hora de partir para as roupinhas, que devem seguir o mesmo processo. É algo que leva tempo e demanda adaptação”, diz a estilista que ressalta que o ideal mesmo é começar quando o pet é ainda filhote, a partir dos dois meses.