Que atire o primeiro “retalho” quem um dia nunca teve um agasalho em moletom de estimação para ficar em casa atoa no sofá ou para sacar da gaveta ao sinal de qualquer queda na temperatura. A peça, que é a cara do inverno, está mais do que nunca em alta, bem como o seu tradicional tecido que agora também é usado em blusas mais finas, coletes, calças, shorts, bermudas e casacos com cortes mais arrojados.

 

Sempre vinculados aos estilos casual ou esporte, atualmente as peças em moletom ajudam a compor looks para todas as ocasiões, de um passeio no parque durante o fim de tarde a uma agitada balada noturna. Dependendo das combinações, tudo é possível.

Para a diretora de criação e estilo da marca Jean Darrot, Lorena Darrot, o moletom é uma peça que sempre está em alta justamente por sua versatilidade. “É um tecido flexível, macio, que traz frescor nas peças mais leves, além de conforto e aconchego nas peças mais pesadas. Essas características justificam esse sucesso até os dias de hoje”, explica.

 

Em tempos atrás o ambiente esportivo não se misturava com o casual. Mas hoje, segundo a diretora estilo, esses dois estilos se juntaram e chegam forte como tendências em peças masculinas, como as bermudas e os shorts mais curtos e bem coloridos . “Os modelos mais folgados e despojados que o moletom oferecia foram ganhando toques de alta costura, e, assim, conquistando o ambiente casual com peças com cortes melhores e em versões mais leves, podendo ser usadas em várias ocasiões”, esclarece.

 

Blusas fechadas de moletom são provavelmente as peças de roupa mais resistentes ao longo dos anos. Sempre tiveram lugar no guarda-roupa de qualquer um e nas ruas, sendo as favoritas para proteger do frio e se aconchegar em casa. Mas a junção de estilos, combinações com outros tecidos, padronagens mais finas para o clima quente e novos cortes têm desfeito a má fama de roupa sem estilo do moletom.

 

Se o casaco de moletom era uma peça discriminada no ambiente casual, a calça era ainda mais. Mas, graças à união entre moda esportiva e o estilo casual, isso mudou. “As roupas ficaram mais finas, ajustadas e elegantes — portanto, compatíveis com o ambiente casual”, destaca Lorena.

 

Modelos mais finos de calça de moletom podem se mostrar peças bem elegantes para o ambiente profissional quando combinados com blusas sofisticadas e sapatos sociais, de salto ou sapatilhas. “Peças mais justas e com uma tira elástica nas canelas para maior ajuste são as melhores para essa proposta”, sugere a diretora de estilo.

Um pouco de história

O moletom é um tecido macio feito de algodão ou lã que foi criado na década de 1920, na cidade de Nova York, para proteger os trabalhadores nos frigoríficos. Dez anos depois, o tecido também se popularizou entre os praticantes de esportes.

A palavra moletom é um estrangeirismo, com origem na palavra francesa molleton que quer dizer mole e macio. Ao longo da história, além da função de agasalho, as peças feitas com o tecido passaram a ter outros usos. Popularizou-se entre os esportistas por ser um tecido confortável e permitir maior mobilidade; já com os estudantes foi adotado na confecção dos uniformes e jaquetas. Por muitos anos foi difícil desvinculá-lo da imagem de um tecido simples, usado exclusivamente para pijamas e agasalhos, e associá-lo a sofisticação.

Atualmente, com uma moda mais versátil, democrática, priorizando sempre o conforto, o moletom passou a ser revistado por grandes estilistas e ganhou novos cortes (alguns bem sofisticados), ficaram mais leves, mais coloridos, combinaram com outros tecidos e outras peças do dia a dia, como o jeans, com calças skinny ou em alfaiataria, saias mais leves e soltas outras com corte mais reto.