Na sua décima participação na Casa Cor Goiás, o designer de interiores Nando Nunes assina o Studio Bossa, de 80 m². Criado para atender às necessidades de um personagem quase real, que recebeu o nome de Tom Moraes, o espaço faz com que o visitante sinta a alma do morador. A inspiração veio do frescor praiano, da leveza da brisa e do balanço do mar. “Tom Moraes é um goiano que ama suas raízes, mas que, por ter uma paixão pelo mar, quis trazer referências desse clima praiano para dentro da sua casa, de seu mundo. Nosso morador é um homem de 50 anos, que tem a vida resolvida e preza por aproveitar os bons momentos com os amigos e a família. Tom gosta receber, de cozinhar, de ouvir uma boa bossa nova, de compartilhar. E tudo isso com muita leveza e em conexão com elementos naturais”, explica Nando Nunes.
Se todos fossem iguais a você…
O Studio Bossa é composto de quatro espaços integrados, cheios de luz, de poesia e de vida. No hall de entrada, destaque para o bom gosto do morador na mesa do antiquário Arnaldo Danemberg. No estar, a estante S.C.A. está repleta de elementos que remetem ao mar, além da coleção de livros de Tom Moraes. Na parede, o quadro do Morro Dois Irmãos, de Will Sampaio, não deixa dúvidas da paixão de Tom pelo Rio de Janeiro. Em seguida, a sala de jantar tem a mesa assinada por Arthur Casas e parede de pedra natural com a prancha de madeira encostada. Completando o ambiente, a cozinha com armários que guardaram os segredos gourmet do nosso personagem.
 
É pau, é pedra…
Para a composição do Studio Bossa, Nando Nunes priorizou elementos naturais: a madeira, a pedra e o verde compõem os espaços harmoniosamente. O piso que imita granitina, revestimento que fez sucesso na década de 40 e que é uma forte tendência na arquitetura, recebe o toque natural do tapete confeccionado com fios 100% brasileiros (algodão, corda e chenile) em tear semimanual. Na parede, a opção pelo uso de pedras naturais reaproveitadas mostra a preocupação do morador com o meio ambiente.
Pelo studio, o bom gosto de Tom Moraes está traduzido também no mobiliário assinado, da Armazém da Decoração: Poltrona Diz, de Sergio Rodrigues; Poltrona Jangada, de Jean Gillon; banco de madeira ZIG, da Porfírio Valadares; cadeiras de jantar do Estudiobola; mesa de jantar Amorfa, de Artur Casas; sofá de capa Mazzo, de Danilo e Paula Gontijo; banquetas de bar Estudiobola; mesas de centro de Zalszupin, por Etel Carmona; e mesas laterais de Paulo Sartori.
A parceira S.C.A. trouxe o que há de mais contemporâneo no mercado moveleiro para a casa de Tom, que é um homem antenado com as tendências da decoração. Destaque para o Sistema Cartesia, composto por duas calhas em alumínio pintado e uma gama de acessórios metálicos e de madeira ebanizada com design exclusivo para o sistema: porta objetos, faqueiro, base para especiarias, base para apoio entre outros. Além disso, a iluminação conta com o sistema Emotion Driver, que pode ser acionado por controle remoto ou smartphone.
As portas com estrutura em alumínio pintado na cor bronze recebem vidro acidato cor avena e puxadores Doppio na mesma cor do perfil, confirmando as tendências mundiais no uso de vidro no mobiliário. Outra tendência global é a estante Tassos, composta por perfis metálicos que possuem uma configuração diversificada e que tem como opção prateleiras em MDF madeira ebanizada. Completando, mesa e cadeiras francesas que vieram do antiquário Arnaldo Danemberg, acompanhadas de um portmanteau francês.