O cantor, compositor e escritor goiano Pedro Scalon lança duas canções no próximo domingo, dia 1º de junho, a partir de 22h, através de uma live que funciona em forma de bate-papo. Uma é a “Eu não existo sem você”, que foi composta por Pedro e a “Hoje”, composta por Pedro e Glauber Ribat. Uma arte disponível em todas as plataformas digitais para o público que “curte” o som do Rock’n Roll, Pop e Música Popular Brasileira (MPB).

A música “Eu não existo sem você” fala sobre a importância de potencializar a nossa inteligência intrapessoal. “É um convite a olharmos com mais lucidez o nosso tempo e as relações líquidas que ele sugere. O isolamento fez isso, nos forçou a olharmos mais para o espelho e acredito que muita gente pirou com isso por ser levado a uma rotina desgastante, veloz e muitas vezes sem nexo”, reflete Pedro.

Já a canção “Hoje” foi produzida pelo Wellerson Cássio, que é  produtor da cantora Paula Fernandes e de tantos outros artistas de sucesso. “Essa música é um Rock’n Roll e minha intenção é mostrar beleza do mundo de estar vivo e a importância de vivermos com intensidade nossos sonhos. E muito em breve vou lançar o videoclipe dessa canção”, explicou Pedro.

Diante do isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus, Pedro Scalon passou a refletir sobre o comportamento das pessoas e analisar a atitude de nós humanos na quarentena. Mediante a uma anamnese o artista chegou a conclusão de que precisava fazer algo para expressar seus sentimentos, idéias e desabafos. “São projetos intimistas, nos quais quero apresentar as músicas de uma forma nua e crua”, acrescenta.

Sobre Pedro Scalon
Filho da pianista Viviane Vilela e neto do compositor e músico Henrique Duarte Netto, o goiano Pedro Scalon sempre teve a música como um dos principais pilares de sua vida, iniciando seus estudos musicais aos sete anos de idade. Começou estudando piano em casa, mais tarde passou para o violão e guitarra.

Aos 15, já como músico profissional, formou várias bandas, se apresentando em shopping centers, festas, bares e eventos, sempre influenciado por artistas consagrados do rock e pop internacional, com repertório envolvendo ainda MPB, blues e jazz. Começou a estudar canto aos 16 anos e, com o passar do tempo, foi desenvolvendo vários projetos musicais, além de tributos a bandas como Beatles, Queen, John Mayer, Gary Moore e Bon Jovi.

Professor de guitarra, violão, piano e canto, tendo trabalhado em escolas renomadas em toda a cidade possui, em seu currículo, cursos de formação com professores como Mozart Mello, Edu Ardanuy, André Matos, Lanny Gordin, Michel Lemme, Rafael Bittencurt entre outros.

Em 2013, Pedro lançou o disco “Nas Margens do Tempo”, que teve produção de Wellerson Cássio. O material trouxe nove faixas de sua autoria, incluindo “Sete Noites no Deserto”, que lhe rendeu o prêmio de melhor compositor no Festival dos Violeiros, em Goiânia, além de duas regravações. Já com o videoclipe da música “Totens”, também de sua autoria, foi finalista do concurso “Garagem do Faustão”, promovido em outubro de 2012 pelo programa Domingão do Faustão, da Rede Globo. O álbum “Nas margens do tempo” também o levou por quatro vezes à final do festival FENAC, Festival Nacional da Canção, o maior festival de música do Brasil, por onde passaram músicos como Oswaldo Montenegro, Lô Borges e Dani Black. Todas as músicas do cantor podem ser encontradas nas plataformas digitais.

O músico também é conhecido por se dedicar a tributos a dois artistas épicos, Cássia Eller e Cazuza. Este último lhe rendeu muitos elogios, não só de crítica e público como também os cumprimentos de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, que chegou a publicar uma matéria no site oficial do filho falando sobre o trabalho de Pedro e tecendo elogios ao show, além de presenteá-lo com a réplica da bandana que Cazuza usava, tradicionalmente, em seus shows.

Letra da música – Eu não existo sem você

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você partindo

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você mentindo

.

Eu vejo a vida, meus amigos e o silêncio que cai

Minhas culpas, os meus vícios, meu cansaço

É fim de tarde e os desejos suspensos

Minhas cores, meus sentidos o meu corpo nu

se desarma e ninguém percebeu

.

O vento que cai

O deserto que sai

Em chama em nos

Hoje somos tão sos

A noite que cai

O seu corpo  em mim

Eu já nem sei se devo chorar.

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você partindo

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você mentindo

.

Minhas horas, meus amores e o tempo se esvai

Minhas culpas, os meus vícios, meu cansaço

Minhas cores, meus sentidos, o meu corpo nu

se desarma, e ninguém percebeu

.

O vento que cai

O deserto que sai

Em chama em nós

Hoje somos tão sós

A noite que cai

O seu corpo  em mim

Eu já nem sei se devo sonhar

.

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você partindo

Eu não existo sem você

Eu não quero ver você mentindo

Letra da música – Hoje

Sempre as mesmas coisas

Nada muda e o mar

Me trouxe outras palavras

Mesmo sem uma garrafa

Todas as pessoas

Estão no mesmo lugar

Certamente erradas do que podem achar

Eu cai bem fundo

Eu pisei em falso

Destruí meu mundo e recomecei

Hoje, lembrando o ontem

Eu vivo em paz

Me sinto em paz

Nada muda e o mar

Cada vez mais perto

Sempre tão discreto

Com as mesmas ondas

Batendo e voltando

Me mostra que é possível começar a todo tempo

Eu pisei em falso

Eu saí do asfalto

Encontrei a trilha

Acertei o alvo

Remontei meu mundo

Quis fazer direito

Hoje

Lembrando o ontem

Eu vivo em paz

Me sinto em paz

Cada vez mais perto

Batendo e voltando

Todo dia é tempo pra começar direito

Hoje

Lembrando o ontem

Eu vivo em paz

Me sinto em paz