Alfabetizar para profissionalizar e gerar oportunidades para a população em situação de vulnerabilidade social. Esse é o principal objetivo da  parceria celebrada entre a SIM Engenharia, empresa responsável pela construção do Kingdom Park Residence em Goiânia, e o Serviço Social da Indústria (SESI), e que levará para comunidades vulneráveis de Aparecida de Goiânia, aulas de alfabetização e educação fundamental e ensino médio, dentro da modalidade EJA – Educação de Jovens e Adultos.

O lançamento oficial do projeto acontece já no dia 1º de agosto com aula inaugural para uma turma de 40 alunos do ensino médio na sede do Sesi Aparecida. Também em agosto, uma turma de ensino fundamental inicia aulas na Comunidade Terral do Sol. Outras comunidades vulneráveis  também serão beneficiadas, basta o morador se direcionar até uma das unidades do SESI Aparecida e buscar informações sobre as aulas.  No total, serão reservadas 500 vagas para pessoas a partir de 16 anos, a serem triadas pela entidade. Após as conclusão das aulas, o projeto prevê que os estudantes sejam direcionados para o mercado de trabalho.

Agenda positiva

 Todo o material didático e também os professores serão disponibilizados pelo SESI. Os custos serão assumidos pela Sim Engenharia, que está desenvolvendo  uma série de ações que buscam impactar positivamente em regiões que vão além das vizinhanças de seus empreendimentos, como a do Kingdom Park Residence, que está sendo edificado na Região do Vaca Brava, em Goiânia.

 A empresa está adotando parâmetros do Sistema B, certificação em gestão com impacto positivo em seu modelo de negócio. “Trata-se da mais relevante metodologia utilizada para se medir o impacto social de um negócio, adotado pela Bolsa de Valores, no Brasil, e pela Organização das Nações Unidas, no mundo”, diz a consultora em sustentabilidade Camila Storti, que assessora a Sim na área. Ela explica que a empresa está alinhada com a nova economia, que resignificou o conceito de sucesso de um negócio. “Não se trata mais de apenas obter lucro, mas de gerar valor com pessoas que trabalham felizes e saudáveis em um meio ambiente equilibrado”, explica.

 A educação foi o pilar escolhido como forma de contribuir para se reduzir as desigualdades que afetam inclusive a própria competitividade das empresas, uma vez que a mão-de-obra sem qualificação afeta o crescimento da economia.  “Movemos a sociedade como um todo, além de interagir com a cidade através da urbanização e modernização de seus empreendimentos, também podemos modificar positivamente comunidades que estão segregadas porque necessitam de ações sociais urgentes e assertivas para serem incluídas”, observa Paulo Silas, diretor comercial da incorporadora.

Terra do Sol

 A Comunidade Terra do Sol, uma das que serão contempladas pelo projeto na área de educação, abriga atualmente 470 famílias e fica localizada entre o aterro sanitário da cidade de Aparecida de Goiânia e o Complexo Prisional do Estado. No começo deste ano, a localidade recebeu outro projeto social que tem a parceria da SIM Engenharia, o  “Olhares da Rua”, iniciativa que nasceu em Londres, das mãos de uma goiana, a antropóloga e empreendedora social Giselle Barboza, e do jornalista e professor de fotografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Daniel Meirinho, chegou à comunidade graças ao apoio das duas empresas.

Por meio do projeto,  dez crianças moradoras da comunidade  Terra do Sol foram selecionadas para participar uma oficina de fotografia, realizada nas ruas da própria comunidade. Câmeras fotográficas foram doadas à população da Terra do Sol, para que assim outras crianças fossem contempladas pela continuidade do projeto. Além de uma exposição no Shopping Bougainville, o trabalho das crianças foi levado a Londres e exposto no Forum Mundial de Investimento de Impacto em Bruxelas, na Bélgica.

Informações sobre as vagas:

SESI Aparecida de Goiânia – 3236-6918 com José Herberton