Relembre a trajetória política de Maguito Vilela, falecido hoje de madrugada

254

Hoje, exatamente às 4h10 da madrugada, horário de Brasília, o Hospital Albert Einstein anunciou o falecimento do prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela. O político foi diagnosticado com Covid-19 no dia 20 de outubro do ano passado, sendo internado num hospital em Goiânia dois dias depois e transferido para São Paulo no dia 27 do mesmo mês. Depois de 82 dias de internação e após o uso, em boletim médico de ontem, dos termos “grave” e “altas doses” de medicamentos para combater uma infecção nos pulmões causada por fungos e bactérias, o prefeito licenciado não resistiu. Deixa esposa, 4 filhos e 4 netos.

 

Aqui, em respeito à família e celebrando a memória de Maguito Vilela, o iConnect relembra sua trajetória política.

 

Ex-professor e jogador de futebol

 

Nascido em 24 de janeiro de 1949 na cidade de Jataí, GO, recebeu o nome de batismo de Luís Antônio Vilela. Entre 1972 e 1977 foi professor da rede estadual de ensino na cidade. O apelido “Maguito” surgiu quando ele era jogador do Jataiense, clube onde fora também diretor entre 1976 e 1977, e acabou incorporado à sua documentação para poder ser utilizado em campanhas políticas. Atualmente, Maguito Vilela atuava também como advogado, sendo sócio do escritório jurídico Vilela e Associados, além de produtor rural do segmento leiteiro.

Longa trajetória

 

Sua trajetória na política teve início em 1976, quando foi eleito vereador pelo antigo partido Arena, exercendo mandato até 1983. Neste mesmo ano foi eleito deputado estadual, tendo sido líder do governo na Assembleia Legislativa de Goiás e permanecendo no cargo até 1987, quando foi eleito deputado federal. Ali, foi um dos chamados “deputados constituintes”, trabalhando na elaboração e aprovação da Constituição Federal de 1988, e foi ainda titular da Subcomissão dos Direitos e Garantias Individuais do Homem e da Mulher.

 

Seu cargo na Câmara dos Deputados durou até 1991, quando foi eleito vice-governador de Goiás na chapa de Íris Rezende. Em 1995 foi eleito governador do estado. Em 1998, porém, se afastou do cargo para concorrer ao Senado Federal, exercendo mandato de 1999 até 2007. Em 2001 e 2006 se candidatou ao governo do estado de Goiás, mas não foi eleito.

 

Delação premiada

 

Após deixar o Senado, Maguito Vilela se candidatou à prefeitura de Aparecida de Goiânia e venceu a eleição e a reeleição, em 2008 e 2012. Em 2017 foi citado na delação premiada da construtora Odebrecht, no auge das investigações da operação Lava-Jato conduzida pelo Ministério Público Federal. Na época o ex-governador era investigado pelo suposto recebimento de vantagens indevidas da Odebrecht para uso em campanhas eleitorais. A investigação foi arquivada pelo Supremo Tribunal Federal em 2018.

 

Em 2020 concorreu à prefeitura de Goiânia, vencendo em segundo turno com 52,52% dos votos. Com campanha quase totalmente conduzida durante sua internação, foi empossado em cerimônia especial sem sua presença e licenciado logo em seguida para dar continuidade ao tratamento das complicações causadas pelo Covid-19, em função das quais acabou não resistindo. O anúncio de seu falecimento ocorreu às 4h10 da madrugada de hoje. Velório e enterro ocorrerão em sua cidade natal, Jataí. O mandato na prefeitura de Goiânia será cumprido por seu vice, atual prefeito em exercício, Rogério Cruz.