A comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente, no próximo dia 5 de junho frente aos alarmantes índices de desmatamento, queimadas, entre outras causas de aquecimento do clima como as emissões de gases de efeito estufa, alerta que o Brasil ignora o potencial que sua riqueza natural representa para conduzir o país a um novo patamar de desenvolvimento sustentável, além do impacto positivo sobre o ser humano.

Dentro desse contexto, o Projeto Bichos do Pantanal traz à luz o conhecimento sobre o meio ambiente e o resgate da relação com a natureza como formas cientificas e pedagógicas para a preservação da biodiversidade e de terapias para a nossa saúde e bem-estar, com uma série de ações focadas na Semana do Meio Ambiente.

“Infelizmente, a importância da natureza ainda é pouco conhecida por grande parte da população brasileira. Isso acontece porque as pessoas estão desconectadas com o meio ambiente e dificilmente alguém dá valor ao que desconhece. Pensando adiante, o programa Conexão com a Natureza, método baseado na obra do autor e jornalista norte-americano, Richard Louv – A Última Criança na Natureza – tem o objetivo de formar educadores que levarão o conhecimento às crianças e jovens nas escolas, resgatando a relação entre o ser humano e a mãe-natureza”, comenta Jussara Utsch, diretora executiva do Instituto Sustentar. “A geração de hoje será aquela que vai atuar amanhã frente à proteção do meio ambiente. Isso é possível porque quando a criança conhece a natureza de forma real, ela aprende a apreciá-la e, consequentemente, a preservá-la”, explica a executiva.

Sobre os números de espécies, o Brasil abriga, por exemplo, mais de 1.900 espécies de aves. Os dados são do Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO) e coloca o País dentre as três maiores nações detentoras de diversidade de aves no mundo. A ictiofauna (conjunto de peixes de uma região ou ambiente) brasileira compreende 2.300 espécies de água doce e 1.298 espécies marinhas, segundo fonte do ICMBio. Um tesouro ecológico pouco conhecido pelos brasileiros.

Outro ponto a ser considerado é que a cultura moderna está cada vez mais conectada por meio da Internet e isso afasta as pessoas do seu contato com a natureza. Nessa tendência, não raro aparecem casos de depressão, distúrbios neurológicos, entre outras doenças crônicas como o stress, que estão se tornando problemas habituais.

Programação da Semana do Meio Ambiente

Em homenagem à Semana do Meio Ambiente e aos seus benefícios para o ser humano, o Projeto Bichos do Pantanal, realizado pelo Instituto Sustentar e patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental preparou uma Cartilha com conteúdo e desenhos para estimular o aprendizado de crianças e adolescentes sobre os elementos da natureza. Este material vem do desejo de mostrar às crianças que o Pantanal não é um local distante, desconhecido, mas sim um ambiente que integra cada animal, cada árvore, e toda a paisagem, ao dia a dia das pessoas que vivem na região.

Outras duas ações especiais e inéditas entraram na programação para os adultos. A TV É O BICHO, um espaço para a troca de ideias, experiências, difusão de informação, aprendizado, tecnologias e inovação, com curtas sobre a biodiversidade pantaneira, educação ambiental, turismo sustentável e conversas com personalidades que atuam no meio ambiental No próximo dia 3 de junho, às 10h (horário de Brasília) e às 9h (horário de Mato Grosso), o ecólogo Douglas Trent, Diretor de pesquisa e de relações internacionais, e o biólogo prof. Mahal Massavi, coordenador de educação ambiental, ambos do Projeto, abordarão o tema “Diálogos na construção da educação ambiental”, trocando experiências com Yana Marull, jornalista, escritora e ilustradora de livros sobre natureza, meio ambiente e os biomas do Brasil; Pedro Belga, biólogo, presidente da ONG Guardiões do Mar, coordenador do Projeto UÇÁ e articulador socioambiental de lideranças comunitárias e da pesca na Baía de Guanabara; Cynthia Ranieri, bióloga marinha especialista em Educação Ambiental e Recursos Hídricos e, também, coordenadora da Educação Ambiental do Projeto Albatroz, parte integrante da Rede de Projetos de Biodiversidade Marinha/Biomar da Petrobras, e Maíra Borgonha, oceanógrafa, Mestre em desenvolvimento e meio ambiente e coordenadora geral do Projeto Meros, que aborda temas ligados ao ambientes costeiros e marinhos.

Os participantes receberão um certificado de participação. As inscrições são gratuitas e online pela plataforma Sympla: http://www.sympla.com.br/dialogos-na-construcao-da-educacao-ambiental__867061

No dia 5 de junho, encerrando a semana na data em que se comemora o Dia do Meio Ambiente, às 17h (horário Brasília) e 16h (horário do MT), o Prof. Dr. Claumir César Muniz, biólogo e especialista em Educação Ambiental para Conservação do Pantanal e coordenador da pesquisa de Ictiofauna do Projeto Bichos do Pantanal falará sobre “Peixes ornamentais. Preocupações e potencialidades no Pantanal Matogrossense” ao lado de Fernando Aburaya, biólogo e agrônomo, Mestre em ecologia e conservação da biodiversidade.

Essa atividade também faz parte da programação TV É O Bicho, mas será também divulgada em uma Live pelo Instagram Bichos do Pantanal (@bichosdopantanal).

Doutora natureza

A obra de Richard Louv “A Última Criança na Natureza”, apresenta uma síntese de pesquisas que relacionam a presença da natureza na vida das crianças com seu bem estar físico, emocional, social e acadêmico. “Caminhar por uma hora na mata ou parques, observando árvores, pássaros ou qualquer outra forma da natureza, tem um impacto positivo enorme sobre nossa saúde e inclusive neurológica”, diz Douglas Trent, ecólogo americano presente há 40 anos no Brasil e Diretor de pesquisa do Projeto Bichos do Pantanal, desde 2013. “Ao estabelecer relações com a natureza em sua totalidade, de forma concreta, as crianças compreenderão que são parte de um sistema e se ajustam à novas dinâmicas, assimilando o conhecimento que pode levar à modificação da qualidade e estilo de vida delas e de gerações futuras. Esse fator transforma mentalidades e tem uma incidência terapêutica em tratamentos físicos, emocionais e neurológicos, capaz inclusive de acalmar o comportamento de uma criança com TDDA (Transtorno de Déficit De Atenção)”, afirma.

Projeto Bichos do Pantanal

Com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Bichos do Pantanal atua na região do Alto Pantanal (Cáceres e Porto Estrela, MT) desde 2013. O foco é nas áreas de Educação Ambiental, pesquisas que ampliam o conhecimento científico visando a preservação de espécies da fauna pantaneira e a promoção da sustentabilidade local por meio do Turismo Sustentável. O Projeto já mobilizou, em diversas atividades (entre cursos, eventos, capacitações, atividades de mobilização social e Educação Ambiental), mais de 550 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos, comunidade escolar, moradores, visitantes e turistas nos municípios de Cáceres e Porto Estrela e Estado do Mato Grosso.

Instituto Sustentar

O Projeto Bichos do Pantanal é realizado pelo Instituto Sustentar, OSCIP com sede em Belo Horizonte e atuação nacional e internacional. A entidade é dedicada à implementação e execução de projetos que buscam a sustentabilidade econômica, social e ambiental, junto à iniciativa privada, entidades da sociedade civil e setor governamental. O objetivo é promover pesquisas técnico-científicas e boas práticas institucionais e empresariais que permitam o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.

Mais informações

Facebook: Projeto Bichos do Pantanal / Instituto Sustentar http://www.facebook.com/bichosdopantanal/

Instagram: Bichos do Pantanal http://www.instagram.com/bichosdopantanal/

Youtube: Bichos do Pantanal – http://www.youtube.com/user/bichosdopantanal

Twitter: Bichos do Pantanal http://twitter.com/BichosPantanal