Goiânia tem enfrentando dias muito quentes e seco, potencializando as doenças respiratórias. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a umidade do ar ideal compreende a faixa entre 50 e 80%, mas na capital a umidade está chegando a 15%, aumentando as buscas por atendimento médico, principalmente por pessoas alérgicas.

 

No Hospital Goiânia Leste, o atendimento de pessoas com doenças respiratórias cresceu em 70% nos meses de julho e agosto em relação aos meses de maio e junho deste ano. “A incidência das doenças respiratórias aumenta muito nesse período, devido à escassez das chuvas. Esses fatores levam a uma diminuição excessiva da umidade do ar, que pode provocar sangramento nasal, bem como a maior incidência de amigdalites, faringites, otites, sinusites, pneumonias, além do agravamento da asma, da bronquite e das alergias respiratórias”, comenta o infectologista do Hospital Goiânia Leste, Dr. Edvaldo Romeiro dos Santos.

 

O médico também dá algumas dicas importantes, como hidratar muito o corpo, principalmente idosos, crianças e pacientes debilitados. Também é necessário observar a presença de diurese e quando possível aferir a pressão arterial. Outra sugestão é para melhorar a climatização do ambiente. “É bom ligar o umidificador ou climatizador e fechar portas e janelas. Quem não possui nenhum destes aparelhos, pode colocar uma toalha molhada ou usar uma bacia de água dentro do quarto. Além disso, é sempre bom ingerir alimentos leves”, reforça Dr. Edvaldo.

 

Quem também sofre muito nessa época do ano são as crianças. Para a médica pediatra do Hospital Goiânia Leste, Luciane Ferreira Gomes, com a baixa umidade do ar e o calor excessivo, os pais precisam ter alguns cuidados com seus filhos. “A hidratação é fundamental. Também é importante a lavagem das narinas e fazer a ingestão de alimentos leves, como frutas e verduras”, comenta.

 

Segundo a médica, nesse período são mais comuns em crianças os quadros intestinais de vômitos e diarreias, mas também os respiratórios, como bronquites asmáticas, rinites e até pneumonias. Para evitar esses tipos de casos é importante fazer dietas leves, uso de roupas leves, evitar aglomerações e cuidados com a higiene pessoal. Também é fundamental: a qualquer sinal de alerta, procurar profissionais especializados para que o quadro de saúde não se agrave.

Confira mais algumas dicas importantes:

  • Evitar carpetes ou cortinas que acumulem poeiras;
  • Evitar colchas de lã;
  • Evitar exposição prolongada à ambientes com ar condicionado;
  • Manter a casa higienizada, arejada e ensolarada;
  • Lavar nariz e olhos com soro fisiológico algumas vezes ao dia;
  • Evitar exercícios físicos entre às 10h e às 17h.