Warner denuncia a si própria por pirataria ao Google

É compreensível que gravadoras, estúdios de jogos e cinema combatam ferozmente a pirataria na internet. Até porque, além de prejudicar os lucros das empresas, fere várias lei de direito autoral. Porém, o que não dava para imaginar, é que uma companhia pudesse denunciar a ela mesma, como acaba de acontecer com a Warner Bros. De acordo com fontes internacionais, a mesma cometeu uma gafe histórica ao notificar o Google, de forma equivocada, que tirasse do ar supostas páginas com conteúdo ilegal, entre elas resultados que redirecionam para sites sob seu próprio domínio.

Para piorar a situação, já que a ação prejudica os negócios da própria empresa, a Warner, também por engano, acabou denunciando um site que pertence à Amazon, o que pode gerar um atrito entre as duas empresas. Por sorte o Google, diferente do que aparentemente não acontece com o estúdio cinematográfico, sempre analisa, com muito cuidado, se determinada página deve ou não ser retirada do ar, obedecendo os termos em vigor.

A pergunta que fica no ar é a seguinte: será que com a sede de se retirar o mais rápido possível alguns conteúdos da internet, essa lista não passou por uma revisada, ou então quem fez isso era um pobre estagiário que a essa hora deve ter sido demitido? Lembrando que essa não é a primeira e muito menos a segunda vez que a Warner acaba cometendo uma gafe histórica como essa. O mesmo já se repetiu, por exemplo, com os filmes “Matrix” (1999) e “The Lucky One” (2012). Contudo, mesmo diante do erro, não podemos desconsiderar os esforços da companhia no combate à pirataria e a grande qualidade de suas produções.

Fonte: http://www.tudocelular.com